Aprenda a conquistar seus primeiros clientes como designer freelancer

16
639
Segmentando o mercado ©Shutterstock

Assumir carreira freelancer é uma decisão delicada e que envolve uma profunda reflexão sobre seus objetivos de vida. Trabalhar por conta própria exige disciplina, organização e estratégias para que você consiga se manter e garantir sua prosperidade.

Depois de escolher se tornar um profissional freelancer, um dos passos mais importantes e também um dos mais difíceis é conquistar seus próprios clientes. Construir uma rede de contatos que lhe garanta ter trabalho frequente e bons projetos é uma tarefa que exige muito de seu potencial de administração e de marketing, afinal, você precisa vender seus serviços, conquistar seu público alvo e garantir a sua satisfação.

No artigo de hoje vou responder uma pergunta recorrente e que é a causa de muita frustração no mundo freelancer, chegando a ser um dos principais motivos que levam o profissional a desistir desta carreira e voltar ao trabalho assalariado.

Como conquistar novos clientes?

Não adianta você dizer que é freela e ficar esperando os clientes baterem na sua porta lhe oferendo trabalho. Você precisará tomar algumas medidas que irão dar início a uma cadeia de ações que te farão conquistar seus clientes facilmente.

Neste artigo você encontrará quatro passos para conquistar novos clientes, são eles:

Através destes passos você desenvolverá estratégias e ferramentas eficientes que lhe permitirão entrar no mercado competitivo com mais segurança e sem precisar esperar muito para começar a arrecadar projetos e lucrar com seu trabalho freelancer.

Primeiro passo: Preparando suas ferramentas de trabalho.

ferramenas freelancer shutterstock_186754508
Ferramentas de trabalho ©Shutterstock

Não basta você ser um excelente profissional se não possui os recursos e ferramentas fundamentais para tocar o seu negócio. Se organizar e preparar o terreno para que seus novos clientes sejam bem atendidos é o primeiro passo para criar a sua rede de contatos profissionais.

Não vou fazer uma lista exaustiva de coisas que você precisa ter no seu escritório, isso você pode decidir sozinho, vou te mostrar aqui apenas as ferramentas necessárias que vão te ajudar na sua busca por novos clientes, estejam eles onde estiverem, e garantir seus primeiros trabalhos. Para começar, você precisará se certificar de possuir os seguintes itens:

  • Um portfólio
  • Múltiplas formas de contato, incluindo perfis sociais
  • Cartão de visita
  • Métodos para receber pagamentos
  • Tabela de preços
  • Site pessoal

Estes são os itens fundamentais que você precisa providenciar antes de começar a corrida por clientes. É importante estar preparado para não ser pego de saia justa e estragar um contato que poderia se tornar o seu primeiro contrato. Vou comentar cada um destes itens para que você tenha uma ideia de como se organizar melhor.

Ter um portfólio

portfólio shutterstock_207560647
Projeto de branding ©Shutterstock

O seu portfólio é o seu catálogo de produtos, através dele você pode mostrar aos seus clientes o seu potencial, e dar-lhes uma ideia clara sobre o tipo de resultado que eles alcançarão se o contratarem. Já dei algumas dicas bem interessantes de como construir um bom portfólio aqui no Clube.

Leia o artigo e garanta que seu portfólio seja uma extensão do seu trabalho, trazendo consigo suas melhores referências, seus melhores projetos e transmitindo o melhor do seu trabalho para seus clientes.

Múltiplas formas de contato, incluindo perfis sociais

Formas de contato ©Shutterstock
Formas de contato ©Shutterstock

Você precisa ser facilmente localizável, seus clientes devem encontra-lo até mesmo quando não precisarem de você. Garanta múltiplas maneiras de seus clientes entrarem em contato, não só através do telefone, mas também do Skype, WatsApp, perfis no Facebook, Twitter, Instagram, LinkedIn, etc.

É fundamental entender que seus perfis sociais serão associados a sua carreira profissional, então se você gosta de navegar no Facebook e vive publicando fotos pessoais no Instagram, crie perfis próprios para o trabalho.

Embora seja difícil distinguir o que é um perfil pessoal de um profissional freelancer (que acaba sendo até a mesma coisa em muitos casos) você precisa limitar o uso destes perfis para publicações estritamente profissionais. Isto está relacionado não apenas pelo conteúdo, mas por sua postura em diálogos trocados dentro destes perfis.

Experimente criar uma fanpage, onde você pode publicar imagens de seus melhores trabalhos ou até dicas de design para chamar a atenção de leitores que podem vir a se tornar clientes.

Tenha um cartão de visita

Entregando seu cartão de visita ©Shutterstock
Entregando seu cartão de visita ©Shutterstock

Tá aí um assunto que é recordista de publicações aqui no Clube, o cartão de visita é a sua ferramenta de contato mais eficiente. É nele que você vai colocar tudo o que falei anteriormente sobre contatos. Experimente ler alguns dos artigos abaixo para ficar por dentro do que pode ou não pode ser incluído no seu cartão de visita.

Métodos para receber seus pagamentos

Recebendo um pagamento ©Shutterstock
Recebendo um pagamento ©Shutterstock

Além de estar preparado para firmar o contato com o seu cliente, você precisa estar preparado para receber pelo seu trabalho. Pode parecer estranho eu estar falando sobre isso se você ainda nem conseguiu o seu primeiro cliente.

Oferecer métodos que facilitem o pagamento para seus clientes é um diferencial no mercado competitivo. Você pode aceitar apenas pagamentos em dinheiro, à vista, e através de depósitos ou transferências eletrônicas para a sua conta no banco, ou pode utilizar carteiras eletrônicas que lhe permitem receber com cartão de crédito, vantagem que oferece comodidade para seus clientes.

Dois bons exemplos nacionais são o PagSeguro e o Moip, você também pode preferir usar o mundialmente famoso PayPal, para receber pagamentos de maneira facilitada usando um simples email.

Eu, por exemplo, uso o PagSeguro e o PayPal. No PagSeguro eu consigo parcelar o job do meu cliente em até 24 vezes no cartão de crédito, pago apenas uma taxa por isso mas recebo o valor à vista. Já o PayPal é uma excelente alternativa se você pretende oferecer serviços para pessoas que morem no exterior. Já recebi pagamentos de Portugal e Angola, por exemplo.

Construa sua tabela de preços

Calculando preços ©Shutterstock
Calculando preços ©Shutterstock

Há aqui certo preconceito. Fazer uma tabela de preços não quer dizer que você vai limitar os seus ganhos a valores fixos, muito pelo contrário, ela pode ajudar a decidir qual o melhor valor a cobrar por serviços recorrentes e que tem um cronograma de execução bem definido.

Não estou falando de uma tabela de preços física, que você pode exibir para seus clientes, é uma tabela para referência única e exclusivamente sua. Isto te ajuda a se organizar melhor e cobrar melhor por seus projetos.

Você deve incluir nesta tabela o seu preço por hora trabalhada, levando em consideração os seus custos fixos mensais, por exemplo. Pode ainda incluir uma tabela especial para preços de projetos impressos em uma gráfica terceirizada, caso adote esta modalidade de prestação de serviços.

Esta tabela te ajuda a manter um piso de custo de referência, evitando que você acabe cobrando de menos e tendo que trabalhar de graça. Experimente listar os serviços mais comuns solicitados por seus clientes e estabelecer um preço médio de acordo com o nível de complexidade, recursos utilizados (imagens e fontes que precisem ser compradas, por exemplo), etc.

Já escrevi um post maneiro sobre como você pode cobrar por seus trabalhos. Experimente ler antes de continuar.

Se você está gostando deste post, inscreva-se em minha lista de emails e receba conteúdo especial.

Um site pessoal bem desenvolvido

Construção de um site ©Shutterstock
Construção de um site ©Shutterstock

Um site pessoal pode ser o seu próprio portfólio online, que serve para exibir os seus melhores trabalhos para clientes em potencial. Além de ser o seu catálogo de projetos, ele também é uma excelente ferramenta de contato e relacionamento.

Construir um site leve, com um bom design e usabilidade te ajudarão a transmitir maior confiança quando seus clientes o visitarem. É obrigatório incluir links para seus perfis sociais (profissionais) e todas as formas de contato possíveis com você.

A facilidade de um formulário de contato é uma ferramenta muito útil, seu cliente pode lhe enviar uma mensagem sem precisar sair da sua página, use estes formulários de maneira estratégica.

Uma excelente alternativa é também reunir uma lista de e-mails utilizando serviços como o MailChimp. Assim você poderá atingir um número maior ainda de pessoas quando oferecer serviços promocionais ou desenvolver campanhas em massa.

É importante utilizar o seu site para a sua apresentação profissional, então crie uma página “Sobre” e se apresente, fale de seus projetos, de suas metas e seus objetivos. Apresente suas qualificações, especialidades, monte um verdadeiro currículo online.

Outro recurso muito interessante que pode aumentar a sua credibilidade é ter uma página com referências de seus principais clientes (caso já os tenha).

Mais uma grande vantagem em ter um site pessoal é que você pode adquirir o seu próprio domínio na internet, tornando o seu email de contato muito mais amigável e profissional, algo como [email protected] Facilita não só na memorização mas também como uma maneira de reforçar a sua marca na mente das pessoas.

Se você tiver interesse em aprender a criar seu próprio portfólio online usando WordPress, tenho uma série de vídeos inteirinha mostrando como fazer isso. É clicar e aprender.

Estes são apenas os primeiros recursos que você precisa garantir antes de começar a sua busca por novos clientes. Possuindo estas ferramentas de contato e relacionamento, ficará muito mais fácil encontrar e conquistar seus novos clientes.

Segundo passo: Escolhendo e segmentando seus clientes

Segmentando o mercado ©Shutterstock
Segmentando o mercado ©Shutterstock

Como designer freelancer você pode desenvolver os mais variados projetos sem se preocupar em atender um público alvo específico. Isso pode ser bom por um lado, pois você terá uma variedade maior de clientes disponíveis e que podem ser atendidos.

Por outro lado, se você segmentar seus clientes obterá resultados mais satisfatórios em menos tempo. Você poderá se dedicar mais tempo a um perfil de cliente específico, desenvolvendo habilidades singulares que te tornarão referência no mercado para clientes com o mesmo perfil.

Para ficar mais claro, vou usar alguns exemplos:

Exemplo 1. Você pode se dedicar em atender especificamente clientes que precisam de projetos impressos. Desenvolvendo artes, criando modelos, projetos gráficos e material que poderá ser impresso pelo cliente na gráfica de sua preferência, não intermediando o processo de impressão.

Exemplo 2. Você pode, além de desenvolver os projetos de seus clientes, intermediar o processo de impressão, enviando o projeto do seu cliente para uma gráfica de sua preferência e cuidando do projeto até que ele seja entregue nas mãos do seu cliente.

Exemplo 3. Você pode escolher trabalhar com um cliente que atue em um segmento de mercado específico, como por exemplo: redes de supermercados, clínicas médicas, escolas, eventos, etc. Você pode desenvolver habilidades e experiências que serão o seu diferencial ao escolher um segmento bem específico.

Exemplo 4. Você pode atender todo tipo de cliente, indiscriminadamente, desenvolvendo desde convites de aniversário para festas infantis, até formulários complexos para clínicas de diagnóstico por imagem. A desvantagem aqui é que você não cria uma referência muito sólida para seus clientes mais importantes, que podem te indicar como um profissional que atende especificamente quem trabalha com determinado segmento.

Exemplo 5. Você pode se dedicar em desenvolver apenas um determinado tipo de projeto. Como se tornar um profissional especialista em desenvolvimento de marcas, um retocador e editor de fotografias profissionais para estúdios, e assim por diante.

Note que estou falando apenas no caso de você ser um designer gráfico ou que atue neste campo. Se você atua em qualquer outra especialidade, poderá segmentar seus clientes de acordo com as necessidades do mercado.

Decidir que tipo de cliente você irá atender não limita as suas opções de trabalho. Você pode receber outros tipos de projetos sempre que achar conveniente. Isso vai depender de sua disponibilidade e se o projeto vale a pena no quesito rendimento.

Terceiro passo – Trabalhar de graça para conquistar os primeiros clientes

Mendigo segurando uma placa ©Shutterstock
Mendigo segurando uma placa ©Shutterstock

Sei que você precisa pagar as suas contas e desenvolver projetos gratuitos não te trará lucro algum. Mas você pode ter certeza de que não existe maneira melhor de ocupar e aproveitar o seu tempo enquanto você está procurando por seus primeiros clientes.

Além de se manter ocupado, você ganha experiência e acumula boas referências para seu portfólio. Você pode se inscrever em concursos, se dedicar a escrever para o blog de um amigo que já trabalhe na área, o que for preciso para você aparecer no mercado e começar a ser visto.

Trabalhar de graça vai ser a sua estratégia inicial para conquistar alguns clientes, e você vai saber o por quê agora.

Você conhece alguma empresa ou empresário que poderia se tornar um cliente? Aquela loja de roupas que não tem uma identidade visual? A oficina mecânica que tem um péssimo cartão de visita? A loja de ferragens que não tem um catálogo de produtos?

Experimente desenvolver um projeto bem bolado para estes clientes, faça melhor o que você sabe fazer, crie! Identifique os pontos fortes e fracos desta empresa como consumidor e avalie qual seria a melhor estratégia para chamar a atenção de seus clientes.

Desenvolva uma proposta bem bonita, construa uma apresentação convincente e telefone para o seu futuro cliente. Melhor ainda, vá até ele e leve consigo a sua proposta. Apresente a ele a sua solução e mostre o que ele pode ganhar se decidir adotar os seus projetos em sua empresa.

Tenha em mãos uma proposta bem elaborada para o orçamento, formas de pagamento e todas as facilidades que seu cliente terá se escolher trabalhar com você.

Você vai receber alguns “não” e irá até ficar desapontado, principalmente por estar se esforçando e trabalhando sem receber nada em troca. Mas quando você ouvir o seu primeiro SIM, verá do que eu estou falando.

Pense grande! Você não vai passar a sua vida fazendo projetos de graça e aventurando oferece-los para clientes que você ainda nem conhece. Isto é apenas uma estratégia temporária.

Seja ambicioso e procure as melhores oportunidades, aqueles clientes que realmente valem a pena e que podem se tornar verdadeiras máquinas de fazer projetos.

Depois que você conquistar os primeiros clientes, seu motor profissional já vai pegar o tranco e correr lisinho pela rodovia das oportunidades. Ai começam as indicações, seus clientes atuais te indicam para novos clientes e você já tem tudo para prosseguir por conta própria, e sem precisar fazer mais nenhum trabalhinho gratuito.

Não deixe de ler nosso artigo 3 erros que podem destruir a sua carreira como designer freelancer (E como evitá-los).

Outra maneira de conseguir experiência e explorar algumas janelas de oportunidade é tentar passar um tempo em algum escritório de criação ou agência de publicidade. Sim, trabalhando de graça, tentando adquirir experiência onde hajam profissionais mais experientes trabalhando.

Se você leu até aqui já deve estar se retorcendo de raiva pelo que acabei de dizer. Trabalhar de graça é a última coisa que você precisa agora, já que necessita de dinheiro e de formas de se manter como um trabalhador autônomo.

Mas se você ainda não entendeu o que eu quis dizer, vou tentar explicar de uma maneira mais clara e direta:

Todas as instituições têm problemas e estes problemas precisam de solução. Com todas as tarefas do nosso cotidiano estes problemas acabam ficando estacionados por não serem prioridade para a maioria das pessoas, como é o caso da comunicação visual ou do design gráfico.

Você sabe que são raras as empresas que dão importância para isso e que tem tempo para correr atrás de profissionais que sejam competentes para executar seus projetos.

Tudo o que você precisa fazer é identificar estes problemas, elaborar uma solução e então mostra-la ao proprietário da empresa. Você pode mandar um email, telefonar, fazer uma visita… tanto faz, o importante é que você desenvolva estratégias para conquistar aquele cliente que precisa de você.

Você não está em ponto de aguardar que os clientes venham até você, então precisa correr atrás e conquista-los.

Deu pra entender melhor agora? 😀

Vá atrás das empresas, primeiro de sua localidade, explore bem o mercado a sua volta, não é preciso ir muito longe para encontrar alguém ou alguma empresa que precisa de serviços criativos.

Quarto passo – Divulgue o seu trabalho

Divulgação em massa ©Shutterstock
Divulgação em massa ©Shutterstock

Existem muitas maneiras de divulgar o seu trabalho. Você pode anunciar em jornais, rádios, fazer alguns panfletos e distribuir cartões de visitas em feiras e eventos.

Uma das estratégias mais legais e que podem trazer retornos bem maiores é investir em marketing de conteúdo. Aquela onde você atrai pessoas interessadas em algum assunto ou serviço, oferecendo dicas de como resolver seus problemas, e então oferece os seus próprios serviços para resolvê-los.

Marketing de conteúdo é uma maneira de engajar com seu público-alvo e crescer sua rede de clientes e potenciais clientes através da criação de conteúdo relevante e valioso, atraindo, envolvendo e gerando valor para as pessoas de modo a criar uma percepção positiva da sua marca, e assim gerar mais vendas. – Rockcontent

Se você prestar bastante atenção, perceberá que este post que está lendo agora é um excelente exemplo de marketing de conteúdo. Estou criando uma relação de confiança com você enquanto você o lê. Eu poderia facilmente lhe oferecer agora meus serviços como designer freelancer e você teria muito mais chances de me contratar do que se eu estivesse aparecendo em um comercial de televisão.

As principais formas para você divulgar seus serviços e utilizar estratégias de marketing de conteúdo são:

  • Posts de blogs
  • Mídias sociais
  • Materiais ricos, como livros e ebooks

Tudo o que você precisa fazer é o seguinte:

  1. Entender o seu cliente: Entenda os assuntos pelos quais eles se interessam, seus problemas e saiba exatamente como você pode ajuda-lo.
  2. Produzir conteúdo: Eduque seus clientes, ajude-os a suprir suas necessidades informacionais e de lazer para que ele confie em você.
  3. Promover seu conteúdo: Encontre onde os clientes estão e leve suas informações até eles. Assim você cria sua autoridade e cresce sua marca.

Se você quiser aprender um pouco mais sobre esta estratégia de marketing para turbinar as suas oportunidades na conquista de novos clientes, encontrei este link do RockContent com vários ebooks gratuitos que lhe serão muito úteis.

Vou abordar este assunto em um post específico futuramente..

Quinto passo – Procure trabalho em outros locais

Você já percebeu o quanto é fácil encontrar um bom cliente quando estamos realmente dispostos e investirmos pesado no marketing do nosso negócio. A internet rompe as fronteiras para que você possa encontrar clientes em praticamente todo o mundo.

Existem milhares de sites de trabalho online, desde aqueles de concorrência criativa (que não simpatizo tanto assim) até redes sociais inteiras só para contatos profissionais, como é o caso do LinkedIn.

Você pode se cadastras nestes sites para ter ainda mais chances de conseguir alguns bons clientes. É certo que a maioria dos clientes que procuram por este tipo de site busca suas referências, seu portfólio e a sua experiência antes de contratá-lo.

Porém, o simples fato de você ter um perfil completo, com toda a sua apresentação pessoal, dados de contato e links para site e perfis sociais já é uma excelente porta de entrada para um contato profissional.

Veja uma lista de bons sites que oferecem oportunidades de trabalho ou de relacionamento profissional.

  • LinkedIn – Rede social de contatos profissionais
  • Freelancer.com – Site de serviços freelancer, não é concorrência criativa, é um pouco diferente.
  • 99jobs – Comunidade que reúne empresas e pessoas para troca de informações profissionais
  • Graphicriver – Marketplace online onde você pode carregar seus projetos para venda.
  • Wedologos – Site de concorrência criativa
  • Logovia – Outro site de concorrência criativa

A grande maioria das pessoas que se cadastram em sites de trabalho acaba nem preenchendo o seu perfil por completo. Então faça isso, carregue sua foto, preencha todas as informações possíveis e disponíveis nestes sites e sempre faça uma apresentação dinâmica e atrativa.

Na pior das hipóteses você será apenas “visto”, o que neste caso é extremamente útil, já que você aumenta suas chances de um contato profissional.

Sexto passo – Procure outros profissionais da área

Aperto de mãos entre empresários ©Shutterstock
Aperto de mãos entre empresários ©Shutterstock

Além de construir uma boa rede de contatos profissionais, é importante fazer o mesmo com colegas de trabalho. Manter contato com profissionais do seu ramo seja na sua cidade ou de outras regiões, te ajuda a se manter informado e a criar amizades que podem ser úteis em trabalhos colaborativos.

Se você mantém contato frequente com estes profissionais, pode ser convidado para trabalhar em um job que precise de uma equipe ou até mesmo ser indicado para trabalhos de clientes que por qualquer motivo não puderam receber a atenção daquele profissional no momento.

Uma ótima maneira de conhecer outros profissionais é participar de feiras, workshops e eventos relacionados ao seu negócio.

Sétimo passo – Esteja sempre preparado

Empresário de sucesso ©Shutterstock
Empresário de sucesso ©Shutterstock

Um profissional de sucesso está sempre preparado para as oportunidades que podem surgir a qualquer momento. Tenha sempre em mãos os seus cartões de visita, trabalhe o seu marketing pessoal, vista-se bem e seja sempre simpático.

Investir em cursos de oratória, como se comportar e falar em público, ler livros de etiqueta profissional são uma excelente maneira de criar hábitos comportamentais saudáveis e que te abrirão portas.

Durante muito tempo eu não liguei para a maneira com que eu me vestia, me sentava ou falava diante de colegas de trabalho e pessoas estranhas que poderiam se tornar clientes. Então passei a investir um pouco de tempo para pesquisar e estudar sobre o comportamento ideal para me tornar um profissional melhor, tanto visualmente quanto quando eu estivesse conversando com alguém.

Comecei a me vestir como se fosse sempre a uma reunião importante. Não com terno e gravata, mas com uma roupa mais elegante, camisa bem passada, sapatos sempre limpos e, claro, asseado e cheiroso. 😀

É incrível a reação das pessoas quando você está bem vestido. Você é de fato “notado” onde quer que vá, transmite credibilidade e as pessoas se importam em falar com você, lhe cumprimentar, nem que seja um simples “bom dia”.

Não estou dizendo que você precisa mudar o seu estilo de vida, trocar todo o seu guarda-roupa, se vestir de um jeito que você não gosta e ser quem você não é. Mas você pode se esforçar para se tornar mais apresentável dentro daquilo que você considera confortável. A gente precisa fazer alguns sacrifícios se quiser realmente atingir nossos objetivos.

Olhe para si e tente identificar possíveis problemas que podem ser corrigidos. Dedique um pouco de tempo para conhecer mais de si mesmo e sobre o que as pessoas pensam de você. O importante aqui é criar uma imagem profissional séria e de confiança para seus clientes e futuros clientes.

Seguindo estas dicas você tem todas as ferramentas para conquistar e manter seus clientes durante toda a sua carreira. Com o tempo, você mesmo desenvolve suas próprias estratégias e passa a entender e identificar melhor os clientes em potencial à sua volta.

16 COMENTÁRIOS

  1. Obrigado. Lendo este artigo, consigo comprovar algumas ideias dadas por conhecidos meus (exatamente iguais ao que você expôs), para me inserir cada vez mais nesse mercado criativo. Sou designer formado, mas a realidade é bem diferente da faculdade.

  2. Achei super válido este arquivo. Eu ainda não me forme faço alguns trabalhos por gostar e ter uma certa habilidade, mas pretendo levar adiante. Mesmo sabendo dos inúmeros riscos, como em qualquer outra profissão, vale a pena arriscar além de que estará fazendo uma coisa que gosta! Gostaria de tirar uma dúvida. Pra aprimorar meus conhecimentos se esses cursos temporários valem a pena?

  3. Mercado de Trabalho totalmente “prostituído”, muitos sites oferecendo de graça fazer uma logotipo, um cartão de visita, um convite de casamento, banner, outdoor, etc… Qualquer tipo de arte gráfica hoje é feita do forma fácil e gratuita na internet. Quem quer pagar por um convite de casamento ou um cartão de visita se tenho inúmeros sites oferecendo isso de graça como eu disse anteriormente? Quem vive de designer gráfico hoje ou é bastante “editado”, “editado” de algum chefe em uma grande empresa ou tem uma extrema facilidade em sua criatividade em divulgar e ensinar seus serviços em sites como: Youtube, Clube do Designer, etc…

    • Cara, você pode achar o mercado prostituido, mas eu vejo como uma consequencia do avanço da sociedade, tanto em tecnologia quanto em conhecimento. Eu convivo com centenas de pessoas que trabalham como profissionais criativos, ganham muito bem e estão aí até hoje. É uma profissão como qualquer outra. Não deixamos de ir num restaurante por que aprendemos a cozinhar. Não deixamos de pegar um taxi por que aprendemos a dirigir. Ter uma visão tão simplista assim indica que você realmente não conhece e nem entende o mercado. Lamento.

  4. Ótimos tutoriais e artigos !! Está me ajudando muito !!! Estou começando como freelancer tbm…e estou sempre me atualizando e fazendo cursos ..e logo começarei meu próprio Home Office …por enquanto estou criando meu site e portfólio..logo estará online …muito obrigado !!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here