Por que todos odeiam Comic Sans?

13
436

Quando você entra na faculdade de design o primeiro dia de aula lhe ensina que você deve odiar a fonte Comic Sans. O resto do curso você passa discutindo sobre como você deve odiá-la e como fará para expressar esse ódio infundado.

Certo, talvez eu esteja exagerando, mas embora isso não seja verdade, é quase assim que as coisas acontecem. Muita gente odeia a família de fontes da Microsoft simplesmente por que viu ou leu alguém dizendo que a odeia, ou simplesmente porque odiar a fonte é “cool”, tá na moda e se todo mundo odeia por que você também não deveria?

Você já parou para se perguntar por que todo mundo odeia esta fonte?

Antes de discutirmos sobre isso vamos conhecer um pouco a história desta polêmica família de fontes, para que posamos entender melhor como surgiu todo este ódio, que coleciona movimentos eufóricos e que se sustentam por muitos anos.

Como surgiu a fonte Comic Sans?

Tela inicial do Microsoft Bob
Tela inicial do Microsoft Bob

Vincent Connare era um carinha maroto, até então funcionário da Microsoft, que em 1994 iniciou o projeto da fonte Comic Sans para ser utilizada em um aplicativo da empresa chamado Microsoft Bob. O aplicativo de histórias em quadrinhos tinha como personagem o cão Rover, com o objetivo entreter e ensinar crianças utilizava em seus balões de diálogo a fonte Times New Roman, obviamente nada apropriada para o contexto.

Infelizmente (ou felizmente, vai saber) a Comic Sans não ficou pronta a tempo e acabou sendo incluída posteriormente nos pacotes de fontes para Windows 95. A fonte foi projetada para ser visualizada nas telas dos computadores e por ter uma aparência informal e divertida acabou ganhando a simpatia de todo mundo.

Foi então que seu uso bombou e ela começou a ser utilizada nas mais variadas situações, como em documentos impressos, sites, cardápios de restaurante, avisos de perigo e até em lápides. Ela foi projetada baseando-se nas letras de gibis, passa-tempo favorito de Connare, especificamente inspirada nas histórias de Watchmen (fontes desenhadas por Dave Gibbons) e The Dark Knight Returns (fontes desenhadas por John Costanza). Um detalhe interessante é que Vincente Connare também é o criador da fonte Trebuchet e de alguns dos Wingdings.

Comic Sans foi projetada porque quando eu trabalhava na Microsoft, recebi uma versão beta do Microsoft Bob. Um pacote de software de quadrinhos que tinha um cão chamado Rover na tela inicial com um balão de mensagens utilizando Times New Roman.

Connare comentou certa vez em uma entrevista sobre o fenômeno social de sua fonte. Ele nunca viu a fonte como uma grande conquista, nem um grande fracasso. Ele ficou realmente surpreso com seu sucesso inicial, bem como pela reação negativa posterior.

Se você a ama (a Comic Sans), você não sabe muito sobre tipografia.

Disse Connare, que também acrescentou:

Se você a odeia, você realmente não sabe muito sobre tipografia, também, e você deve procurar outro hobby.

Os programadores do Microsoft 3D Movie Maker também começaram a usar a Comic Sans em seus guias de desenhos animados e balões de fala. Depois do Windows 95, tornou-se padrão no Microsoft Publisher e Internet Explorer. Quase duas décadas depois, a fonte com traços e uma aparência infantil é uma das mais reconhecidas no mundo.

Por que as pessoas usam Comic Sans?

Se partirmos do conceito de que cada fonte deve ser usada de acordo com o objetivo e o contexto da mensagem, poderíamos substituir a fonte Comic Sans por qualquer outra mais atraente em diversas situações. Acredito que era disso que Connare falava.

Porém até mesmo a fonte mais bem projetada não se encaixa em tudo, não pode ser usada de maneira universal. Quer um exemplo? A fonte Zapfino é linda, fluida, curvilínea. Mas será que você poderia usar esta fonte em qualquer tipo de documento? Eu creio que não. Talvez nos títulos de cardápios de restaurantes chiques, ou em uma carta romântica pessoal. Mas dificilmente ficaria bem em um contrato ou uma proposta comercial corporativa.

Zapfino

É fato que até mesmo as fontes mais bonitas e bem projetadas não são tão duráveis. A fonte Times New Ronam, como Connare apontou, não era adequada para o aplicativo lançado na década de 90. A Comic Sans foi criada para preencher o vazio que fonte a Times New Roman não conseguia  preencher. Connare prefere muito mais ser conhecido por suas criações mais recentes de fontes, como Magpie, por exemplo.

Magpie

Então por que a Comic Sans começou a ser usada por todo mundo? É simples, diz Connare, as pessoas gostam dela.

Comic Sans não é complicada, não é sofisticada, não é o mesmo tipo de fonte antiga vista em jornais. É divertida. E é por isso que as pessoas gostam dela. Disse Connare em entrevista ao Fonts.com (leia também, é interessante).

Empresas como TY, criadora dos Beanie Babies, é uma das muitas empresas que usam Comic Sans para representar sua marca. A EA Games projetou The Sims e todo o seu leque de expansões usando esta fonte.

Janela de diálogo no jogo The Sims

A Apple criou, em 2000, cartões eletrônicos gratuitos chamados iCards e a fonte padrão era Comic Sans. Além disso a Apple também criou sua própria versão da fonte Comic Sans, chamada Chalkboard.

Exemplo de um iCard
Exemplo de um iCard
Comparativo das fontes Comic Sans (Microsoft) e Chalkboard (Apple)

Hoje, há uma infinidade de fontes que se assemelham à Comic Sans, como Captain Comic ou Cartoon Script. Em 2010, o jogador de basquete LeBron James deixou o Cleveland Cavaliers para ir para o Miami Heat. Muitas pessoas não gostaram da ideia de James ter deixado a equipe de sua cidade natal, mas quem ficou mais “p” da vida foi o proprietário Dan Gilbert Cavaliers, que escreveu uma longa carta no site da equipe “descendo o cacete” em James. O conteúdo da carta foi viral, e não apenas pelo assunto, os fãs ficaram em polvorosa com a escolha da fonte por Gilbert: Comic Sans. (Leia mais sobre esta história esquisita aqui e  aqui).

A partícula Bóson de Higgs, descoberta em 2011, tornou-se rapidamente um trending topic no Twitter. O anúncio foi tão popular pois os cientistas do CERN revelaram suas descobertas em Comic Sans. Você pode ver uma pequena discussão sobre isso aqui. Tá, essa também saiu em português no Gizmodo (colher de chá pra você, que usa translator, como eu. :D)

Comic Sans e o bóson de Higgs
Comic Sans e o bóson de Higgs

A comunidade designer ficou indignada e os usuários do Twitter se divertiram com o assunto da escolha da tipografia. Alguns animadores taiwaneses do NMA criaram um vídeo zoado recapitulando o anúncio. Claro que o motivo principal é novamente o contexto, usar uma fonte informal em um anúncio científico tão importante é no mínimo estranho. Jonatan Gracia criou um vídeo bem interessante e engraçado sobre as “vozes” de cada família de fontes que pode te ajudar a entender do que estou falando.

Você pode ver mais exemplos do uso da Comic Sans aqui. Acreditem, até a moeda do Canadá já usou Comic Sans. O artigo fala também sobre a trajetória da fonte, desde a sua criação aos dias atuais, de certo muito interessante se você chegou até aqui e pretende continuar lendo o meu artigo.

Por que tantas pessoas odeiam a Comic Sans?

Como pudemos ver até agora, não existe um motivo óbvio para o ódio massivo contra a fonte de Vincent Connare. Eu gosto de pensar que a fonte é odiada porque foi usada demais e em situações a qual o seu uso definitivamente não era aconselhado. Talvez a fonte tenha sido tão usada e colocada tão em evidência que começou a ser cansativa, sem graça e irritante.

É como dizem, “tudo demais enjoa”. O site Sabotage Times fala sem muitos detalhes que a fonte foi mau projetada, não possui uma estrutura consistente e que é de difícil leitura. O artigo defende que fontes do estilo quadrinhos foram feitas para serem usadas todas em maiúsculas ou em frases curtas, apenas para chamar a atenção do leitor.

Um ponto interessante e que também concordo é que a fonte foi criada para um fim específico e acabou inundando o mundo todo com publicações diversas. (Isso foi tudo de interessante que consegui retirar do artigo, já que o seu autor parece ter um ódio doentio pela fonte, que xinga e ameaça de morte que a usa)Porém, devo mencionar que, ao contrário do que o Sabotage Times diz, a fonte é extremamente legível em tamanhos pequenos e é também muito eficiente em projetos infantis.

Em 1999 sugriu o “Ban Comic Sans“, movimento iniciado por dois designers gráficos de Indianapolis, Dave e Holly Combs. A campanha tinha como objetivo evidenciar o design gráfico amador e o desrespeito pela tipografia adequada em projetos, especificamente aqueles com um tom formal, profissional. Tudo começou como uma piada de trabalho e um pequeno site, mas se transformou no movimento anti-fonte mais forte existente.

Como algo tão simples como uma fonte poderia deixar os designers indignados?

Enquanto podemos considerar que Comic Sans é perfeitamente adequada para projetos para crianças ou projetos relacionados a histórias em quadrinhos ou desenhos animados, designers acreditam que não há lugar para ela no mundo dos negócios ou se quer para uso em trabalhos profissionais. Ela também é pouco adequada para corpo do texto em grandes volumes de conteúdo, o que significa que é melhor usada em títulos ou citações curtas, em outras palavras, uma história em quadrinhos.

Embora Dave e Holly Combs tenham idealizado o movimento “Ban Comic Sans”, atualmente estão se concentrando em uma nova campanha, mais positiva, do Department of Public Words, que se dedica à criação e divulgação de mensagens positivas em espaços públicos. Outro movimento sério contra o uso de Comic Sans é o Comic Sans Criminal. O site traz uma apresentação de página única explicando que o movimento não é apenas contra a Comic Sans, mas contra o seu uso inadequado, que mesmo que esteja dentro do contexto usá-la, o resultado é menos atraente em comparação com as alternativas mais recentes para uso.

O site fornece ainda uma lista de fontes alternativas ao estilo. Apesar de existirem muitos movimentos contra a fonte, também há os que a defendem com unhas e dentes. Como é o caso do Comic Sans Project. Criado pelos designers franceses Thomas Blanc e Florian Amoneau procura desencadear um movimento, tentar re-imaginar a família de fontes muito criticada colocando uma questão estética simples: E se os logos mais famosos do mundo usassem Comic Sans?

We receive a lot of contributions from all over the world like this one by Jack Williams. In a few weeks, we will set up a submission system on the tumblr, please be patient.Thank you for your interest. The fight goes on, defenders !

You are a lot to send us your contribution to our fight against Comic Sans discrimination. We wanted to thank all of you. We are sorry if your design isn’t on this pic, we had to chose among all of your submissions. So, many thanks to:Bertram Rusch, @codyjwright, Damon Crate, @davecallaghan, Dave Gottwald, @dubster2K, Erick Akyo, @ff_, Geraldo Hoffmann, Jun Lu & Cindy, @monst3r2009, @ndavid42, @pixelsnader, Sam Greenland, @snsptzr, @TheDoLittle, @turchee, Markus Tuppurainen … and those that we forget. Até que não ficaram tão ruins assim, não é mesmo? O Gunarolla criou a The Comic Sans Song, uma canção que apresenta ao mundo a Comic Sans Nation (Nação Comic Sans).

O hit tem até um remix irado.

Concluindo

Então, já no final deste artigo podemos perceber que não conseguimos concluir muita coisa sobre esse ódio que as pessoas tem contra a Comic Sans. O que pudemos perceber foi uma fonte projetada para um fim específico, feita especialmente para as telas dos computadores, com boa leitura e com um desenho cômico e infantil.

O fato de a fonte ser usada em contextos inadequados pode ter sido o fator estimulante para que a aversão à ela se desencadeasse. Mas isto não chega a ser um problema “não solucionável”. O site Casey Marketing Services traz uma matéria interessante intitulada “Comic Sans: a incompreendida” que dá conselhos sobre o uso correto e incorreto da fonte.

David Kadavy, autor de um dos Best Sellers da Amazon, publicou um artigo bem aprofundado sobre o assunto. Por que você odeia a Comic Sans traz uma análise meticulosa da estrutura da fonte e é o único até agora que conseguiu me mostrar uma justificativa para o desprezo à família Comic Sans. Mais uma vez, o contexto é colocado em evidência, o uso da fonte, onde, e de um jeito nada apropriado.

Palavras finais

Fiquei realmente impressionado com a quantidade de informação sobre esse assunto disponível na internet. Encontrei artigos muito interessantes e que me fizeram entender muito além desta rixa entre designers e Comic Sans, me fizeram conhecer mais sobre a história da tipografia e a sua influencia na sociedade. Abaixo deixo alguns links que usei como referência, e outros que eu simplesmente fui encontrando enquanto abria diversas abas no meu navegador pesquisando sobre o assunto.

Qual a sua opinião sobre o assunto? Você também odeia a Comic Sans? Mas será que você realmente sabe o motivo pelo qual a odeia tanto assim? Comente e vamos debater!

13 COMENTÁRIOS

  1. Ótimo artigo, parabéns! O que me deixa irritado é realmente o uso inadequado da fonte. Meu sogro usa para fazer certidão de casamentos, o que me deixa profundamente irritado.

  2. Talvez o uso da Comic, por ter se transformado em uma fonte popular por todos, seja vista pelos designers associada a falta de criatividade. Interessante, pois percebemos agora que ela esta em toda parte chegando a ser brega! rss

  3. Adorei!
    Realmente quando eu ainda não havia estudado design gráfico gostava bastante da Comic Sans,
    quando entrei na faculdade aprendi que não poderia gostar dela, mais por imposição e deboche do que por explicação rs
    Não sei por qual motivo um colega só fazia seus trabalhos usando essa fonte e era motivo de chacota para os demais.
    Excelente artigo! Parabéns!

  4. Primeiramente gostaria de dizer que adorei seu artigo. Há tempos que não lia um artigo tão extenso assim (quanto mais conteúdo melhor).

    Enfim, respondendo o que acho da fonte: como você mencionou no artigo diversas vezes, a fonte foi feita para um fim especifico, mas que acabou sendo utilizada para outros completamente diferentes. A minha opinião é: ninguém odeia a Comic Sans, mas sim o modo cansativo e errado de uso dela. Um exemplo que quase chorei quando vi foi essa logo do McDonald’s e do Star Wars, impossível uma empresa e um filme fazerem sucesso usando uma identidade dessas.

    Mas de qualquer jeito possam haver pessoas que odeiem realmente a Comic Sans então isso vai depender de como a pessoa pensa. Só não acho que possa valer a pena brigar por conta de uma fonte, já que existem tantas outras modernas e para os fins infantis ou não que podem ser utilizadas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here