Produção Gráfica #4 – Retícula, meio-tom e traço

6
746
Imagem em retícula de apenas uma cor

Continuando com a nossa série Produção Gráfica, hoje vamos conhecer mais três conceitos importantes para o profissional que desenvolve projetos para impressão. Embora sejam termos mais comumente usados por quem trabalha diretamente com pré-impressão e impressão, é fundamental conhecê-los para criar material consistente e que tenha qualidade de impressão excepcional.

Em nosso dia-a-dia observamos e percebemos uma infinidade de formas e cores, a percepção de cor que temos ao olhar a superfície de uma fruta, de uma manga por exemplo, é suave, conseguimos observar a variação de tonalidade, do vermelho para o amarelo, as sombras, áreas mais claras e escuras de maneira natural e tênue. O mesmo ocorre quando observamos uma imagem em preto e branco, somos capazes de perceber o contraste entre um quadrado preto e um fundo branco claramente. Isto por que os objetos tem uma coloração natural resultante da variação de luz e sombra, o que nos permite enxergar as coisas através de seus meios-tons.

dry_eye

Você já teve a oportunidade de ler uma revista em quadrinhos? Já observou como as imagens são formadas por traços e cores chapadas? Diferente do que vemos nos quadrinhos, nós percebemos as coisas ao nosso redor não através de traços e cores chapadas, mas através dos meios-tons, que nos dão a percepção de luz e sombra, da textura, profundidade, etc.

O meio-tom e o traço são recursos utilizados para criar representações impressas. Em uma história em quadrinhos podemos observar o traço, extremamente visível e contrastante, sem variação de cores e com linhas bem vivas. Em uma fotografia conseguimos observar um exemplo claro do uso do meio tom, com o qual é possível representar as cores de um por-do-sol ou as variações de tonalidade em uma cesta de frutas.

Ilustração clássica retrô ©Shutterstock
Exemplo de imagem em traço – Ilustração clássica retrô ©Shutterstock

Agora imagine como seria reproduzir imagens totalmente coloridas em um impresso, de maneira que fosse possível usar o menor número de cores (ou tintas) garantindo suavidade na transição de luzes e sombras. Para que isso seja possível, é preciso decompor estes meios-tons em pequenos pontos, que variam de tamanho e cor, se misturando em nossa visão (pelo fato de serem bem pequenos). A este processo chamamos de retículas, centenas de pontos organizados em uma malha (ou rede) que cria uma mistura ótica e simulam uma variação natural de cor, e assim também simulam o aspecto natural das formas sendo reproduzidas.

Imagem colorida em retícula
Imagem colorida em retícula

Boa parte dos processos de impressão usam retículas, como a impressão Offset, jato de tinta, lazer e impressão digital. Se você pegar qualquer folheto ou revista e utilizar uma lente de aumento poderá ver perfeitamente os pontos de tinta utilizados para compor as imagens e as cores, o instrumento utilizado para verificar com precisão a disposição dos pontos em um impresso é o conta-fios.

Método de impressão flexográfica

Outros processos de impressão não são capazes de criar retículas nem de representar os meios tons, tanto por questões tecnológicas quanto de processo, como é o caso da serigrafia (em alguns casos), da flexografia e do corte eletrônico. Um exemplo clássico é a impressão criada com carimbos convencionais.

Outra particularidade são as impressões em grande formato, as plotters imprimem naturalmente em baixa definição pois seus impressos são feitos para serem observados de longe, então é possível enxergar com facilidade a composição das retículas.

Quando não podemos imprimir com meios-tons utilizamos o traço. As máquina mais antigas de impressão utilizavam clichês que funcionavam como os carimbos de hoje, elas imprimiam usando apenas uma cor e criavam preenchimentos sólidos e uniformes. Alguns processos atuais funcionam basicamente do mesmo jeito, como a flexografia. Basicamente a impressão por traço utiliza uma única cor, uma única tinta, não há nenhum meio-tom. Um exemplo são os jornais, que utilizam traço para imprimir as letras pretas, mas também usam meios-tons para imprimir as imagens. Uma foto preto e branco, por exemplo, é feita por retículas de apenas uma cor.

Nos processos de impressão coloridos que utilizam retícula, a imagem é impressa várias vezes. No processo de impressão CMYK, por exemplo, a imagem é impressa usando retículas de cada uma destas cores, assim, o material é impresso primeiro usando a tinta Ciano, depois uma outra retícula é usada para imprimir o Magenta e assim por diante, cada tinta separadamente. Falaremos em mais detalhes sobre o processo de impressão nos próximos posts.

Imagem em retícula de apenas uma cor
Imagem em retícula preta

Nos próximos posts continuaremos estudando os conceitos interessantes da produção gráfica. Não se esqueça que você acompanhar todos os posts desta série clicando aqui.

6 COMENTÁRIOS

    • Basicamente: Impressão a traço usa uma cor sólida, contínua. Impressão em meio tom usa retículas, algo demonstrado nos próximos posts. Recomendo acompanhar a série por completo para entender melhor os conceitos.
      Um abraço!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here