Semiótica no Design – O conceito de signo

14
343

Se você estuda ou pretende estudar design terá de aprender a lidar com diferentes conceitos que são fundamentais no desenvolvimento de suas ideias e projetos. Um destes conceitos é a Semiótica, uma ciência que estuda os signos e todos os fenômenos culturais como sistemas de significação.

Há um artigo sobre a Semiótica na Wikipedia e que você pode ler para se aprofundar mais.

A Semiótica é a ciência geral dos signos e da semiose que estuda todos os fenômenos culturais como se fossem sistemas sígnicos, isto é, sistemas de significação. Ambos os termos são derivados da palavra grega σημεῖον (sēmeion), que significa “signo”, havendo, desde a antiguidade, uma disciplina médica chamada de “semiologia” que é o sinônimo de Semiótica, a ciência geral dos signos que estuda todos os fenômenos de significação e foi usada pela primeira vez em Inglês por Henry Stubbes (1670), em um sentido muito preciso, para indicar o ramo da ciência médica dedicado ao estudo da interpretação de sinais. John Locke usou os termos “semeiotike” e “semeiotics” no livro 4, capítulo 21 do Ensaio acerca do Entendimento Humano (1690).

Mais abrangente que a linguística, a qual se restringe ao estudo dos signos linguísticos, ou seja, do sistema sígnico da linguagem verbal, esta ciência tem por objeto qualquer sistema sígnico – Artes visuais, Música, Fotografia, Cinema, Culinária, Vestuário, Gestos, Religião, Ciência, etc.

Surgiu, de forma independente, na Europa e nos Estados Unidos. Mais frequentemente, costuma-se chamar “Semiótica” à ciência geral dos signos nascidas do americano Charles Sanders Peirce e “Semiologia” à vertente europeia do mesmo estudo, as quais tinham metodologia e enfoques diferenciados entre si1 .

Na vertente europeia o signo assumia, a princípio, um caráter duplo, composto de dois planos complementares – a saber, a “forma” (ou “significante”, aquilo que representa ou simboliza algo) e o “conteúdo” (ou “significado” do que é indicado pelo significante) – logo a semiologia seria uma ciência dupla que busca relacionar uma certa sintaxe (relativa à “forma”) a uma semântica (relativa ao “conteúdo”).

Mais complexa que a vertente europeia, em seus princípios básicos, a vertente peirciana considera o signo em três dimensões, sendo o signo, para esta, “triádico”. Ocupa-se do estudo do processo de significação ou representação, na natureza e na cultura, do conceito ou da ideia.

Posteriormente, teóricos europeus como Roland Barthes e Umberto Eco preferiram adotar o termo “Semiótica”, em vez de “Semiologia”, para a sua teoria geral dos signos, tendo, de fato, Eco se aproximado mais das concepções peircianas do que das concepções européias de origem em Saussure e no Estruturalismo de Roman Jakobson.

O motivo para este artigo é este vídeo, que foi compartilhado em minha timeline pelo amigo Regis Baldi e aborda o conceito de signo na Semiótica Peirceana, resultado do Trabalho de Conclusão de Curso de Design Visual na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Espero que este seja o passo inicial para você iniciar seus estudos no campo da Semiótica e se tornar um profissional afiado na utilização dos signos.

14 COMENTÁRIOS

  1. Muito bom! É sempre bom estudar sobre conceitos de design! Parabéns pelo vídeo, queria até inclusive aprender a fazer vídeos assim, não sei qual ferramenta usar. É bom pra galera que está começando ou pros mais experientes não se desatualizarem no mercado!

  2. Legal, primeira vez que eu li sobre semiótica. Já tinha ouvido falar, mas nunca me aprofundei para estudar.
    Porém, agora vou buscar conhecer mais sobre este assunto.

    Valeu Liute Cristian e equipe.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here