Primeiros passos no trabalho freelancer

Você quer trabalhar como designer freelancer mas não sabe por onde começar? Nesse artigo eu te mostro quais são os primeiros passos que você deve trilhar para começar a estruturar a sua carreira de forma correta.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no linkedin
freelancer trabalhando

Introdução

Trabalhar como freelancer é um sonho para muitos profissionais criativos. Isso significa independência, ser o seu próprio chefe, estabelecer seus horários, sua rotina de trabalho, sem contar na possibilidade de ter ganhos financeiros maiores.

A grande e triste realidade é que nem todos conseguem concretizar esse sonho de trabalhar para si mesmo como profissional freelancer, eu sei que muitos profissionais que trabalham em agências também pegam alguns projetos por fora de vez em quando, porém viver apenas do trabalho como freelancer é um verdadeiro desafio.

Depois de muitos anos de experiência no mercado criativo e principalmente trabalhando como designer freelancer eu posso dizer com segurança que trabalhar como um profissional independente não é questão de sorte, existem alguns caminhos que você pode seguir de forma menos arriscada e que podem te levar ao sucesso como freelancer.

Homem trabalhando em home office.
O trabalho freelancer envolve um universo muito grande e que está em constante evolução.

E é justamente esse caminho que eu vou te mostrar agora, é o caminho que eu percorri e que vai te ajudar a dar os seus primeiros passos como profissional freelancer.

Quero reforçar que esses são os primeiros passos. O trabalho freelancer envolve um universo muito grande e que está em constante evolução.

Um exemplo claro disso é a relação que o profissional freelancer tem com as redes sociais, essa é uma questão que até pouco tempo atrás não era algo com que um freelancer deveria se preocupar, já hoje em dia é algo fundamental.

Eu sei que nesse momento você deve estar perdido e querendo saber o que precisa fazer para ter seus primeiros clientes e já começar a ganhar dinheiro com seu trabalho, porém eu preciso te dizer que existem algumas coisas que você deve planejar e preparar antes de se lançar de vez no mercado.

garota trabalhando utilizando notebook
Existem algumas coisas que você deve planejar e preparar antes de se lançar de vez no mercado.

01 – Dedicação total ou começar aos poucos?

Quando você pensa em trabalhar como designer freelancer, uma das primeiras dúvidas que tem é se deve dedicar 100% do seu tempo nesse novo empreendimento ou começar aos poucos, pegando um job aqui e outro ali, enquanto mantém um emprego fixo.

Basicamente, essas são as duas correntes de pensamento quando se trata de decidir quando começar o trabalho freelancer. Aqui é importante que você saiba das vantagens e desvantagens de cada uma.

Dedicação Full Time

Profissional criativo trabalhando em frente ao seu computador no escritório.
Você pode escolher começar dedicando 100% do seu tempo ao trabalho freelancer

Primeiro você pode pensar em começar já dedicando 100% de seu tempo ao trabalho freelancer, preparar seu portfólio, prospectar novos clientes e desenvolver os projetos que forem surgindo.

Algo que pode motivar você bastante nesse primeiro caso é justamente o fato de não ter muita segurança disponível, ou seja, você precisa encontrar novos clientes e novas formas de ganhar dinheiro a todo momento pois as contas irão chegar e você vai precisar ter dinheiro em caixa para quitá-las.

Se essa for sua escolha deve saber que vai precisar estar sempre focado em rentabilizar seu trabalho e manter a organização de sua empresa, nada de tempo ocioso ou focando em coisas que não lhe ajudarão a pagar suas contas.

O grande perigo aqui é justamente o de não conseguir a renda suficiente para quitar suas contas no primeiro momento. É esperado que você consiga manter recursos em caixa para poder segurar os meses de baixa procura de projetos, porém isso pode levar um tempo para acontecer.

Começar aos poucos

Você também tem a opção de começar o trabalho freelancer aos poucos

Já o segundo caso é mais conservador, nesse cenário você trabalha nos projetos de seus clientes em suas horas vagas e mantendo seu emprego fixo. Dessa forma mantém sua estabilidade ao mesmo tempo em que procura se estabelecer no mercado sem se preocupar muito em fechar as contas do mês do seu novo negócio.

Nesse caso você teria um período de transição e deve estar preparado para receber solicitações e pedidos de seus clientes particulares no seu horário de trabalho em seu emprego fixo, em alguns casos isso também pode ser um problema.

Algo que você também deve considerar aqui é que vai estar abrindo mão de boa parte de seu tempo livre para realizar os projetos de seus clientes, o que pode gerar outros problemas, você pode acabar se sentindo esgotado ou mesmo não conseguir entregar os projetos de seus clientes dentro do prazo ou com um nível de qualidade aceitável.

Qual você deve escolher?

portas brancas ao lado de uma porta amarela
Você precisa refletir antes de escolher como vai iniciar seu trabalho como freelancer

Essa é uma escolha extremamente pessoal, afinal de contas cada profissional vai ter uma série de fatores que podem influenciar em seus resultados em cada uma das opções.

Talvez você não goste de lidar com a pressão de conseguir novos clientes enquanto vê as contas se aproximando, também vai saber dizer se terá ânimo e energia para continuar trabalhando após o seu expediente normal de trabalho.

Sua rotina diária e seu padrão de vida vão te ajudar a definir qual dos dois caminhos será o melhor para você, alguns pontos serão determinantes como o fato de morar sozinho ou com alguém, se já possui contas para pagar em prestações, se tem filhos ou não, etc.

É importante que você avalie cada um desses pontos antes de escolher qual caminho vai tomar, você sabe melhor do que ninguém como é sua rotina e como ela pode se adaptar em um novo negócio.

Qual foi a minha escolha?

home office visto de cima
Somente você sabe como é sua rotina de trabalho e como ela pode se adaptar em um novo negócio

Embora o trabalho freelancer sempre tenha sido um objetivo em minha vida ele acabou surgindo de forma natural conforme eu ia desenvolvendo minhas habilidades com desenho.

De vez em quando um amigo pedia um trabalho aqui e outro ali e desde cedo me acostumei a realizar pequenos projetos nas horas vagas da escola e até mesmo depois que comecei a trabalhar.

Quando decidi que queria trabalhar como freelancer e fazer uma carreira dessa forma eu optei por fazer uma transição gradual.

Passei a trabalhar bastante a minha presença online através dos trabalhos com blogs e posteriormente com YouTube, também busquei desenvolver cursos na internet onde eu iria ensinar algumas das minhas habilidades com desenho de letras e isso também foi um fator determinante para essa mudança.

Homem trabalhando em uma cafeteria.
Procure mostrar ao seu cliente que você é um profissional e não faz seu trabalho apenas como um hobby

Gradativamente fui estabelecendo uma rede de contatos e clientes que aos poucos me permitiram trabalhar apenas como freelancer, isso tendo o suporte financeiro das vendas dos meus cursos online e também workshops que eu realizava eventualmente.

Algo que me ajudou bastante a realizar essa transição foi justamente ter procurado outras formas de rentabilizar meu trabalho e não apenas através de projetos para clientes, mas também com cursos online, workshops e palestras.

Se escolher começar se dedicando em tempo integral um planejamento sobre tudo que irá precisar para começar como documentos e outros recursos, além é claro de um planejamento financeiro.

Se optar por começar gradualmente, também recomendo que se planeje, mas especialmente procure mostrar ao seu cliente que você é um profissional e não faz seu trabalho apenas como um hobby.

Homem trabalhando em escritório de madrugada.
boa parte de seu sucesso como freelancer depende de como começou, se com dedicação em tempo integral ou aproveitando seu tempo livre

Decidir como iniciar a carreira como freelancer pode ser algo realmente desafiador, boa parte de seu sucesso nessa empreitada depende de como começou, se com dedicação em tempo integral ou aproveitando seu tempo livre.

Muitos profissionais acabam tendo que fechar seu negócio posteriormente justamente por terem optado por iniciar dedicando 100% do seu tempo, mas sem ter uma segurança financeira que garantisse a manutenção de seu negócio até estabelecer uma base de clientes.

Outros acabam não conseguindo fazer com que seu trabalho como freelancer garanta os custos de seu estilo de vida justamente por não terem energia suficiente para se dedicar em seu tempo livre e isso acaba fazendo com que seu trabalho freelancer não consiga passar de uma renda extra.

Por isso é importante que você dedique um tempo para refletir sobre o assunto e avaliar bem qual desses caminhos é o melhor PARA VOCÊ com base em seu estilo de vida e o momento que vive hoje.

02 – Definir os serviços que irá oferecer

Garota sentada no sofá e fazendo anotações em um caderno.
Dedique um tempo para pensar nos serviços que pretende oferecer de acordo com suas habilidades e capacitação

Algo que vai lhe ajudar bastante a organizar muitas coisas em seu trabalho como freelancer é definir previamente quais serão os serviços que vai oferecer aos seus clientes.

Isso vai permitir que você esteja um passo à frente em muitos aspectos como a preparação de documentos necessários, as ferramentas que vai precisar e a capacitação necessária para realizar cada um desses serviços.

Para que você entenda claramente o que quero dizer com isso eu vou lhe dar um exemplo prático. Suponhamos que você esteja começando sua carreira agora e decidiu que vai começar oferecendo pequenos serviços de design para impressos como por exemplo, cartões de visitas, flyers, folders, etc.

Sabendo isso você já terá a noção dos seus preços, saberá os prazos de entrega, terá modelos de orçamento já prontos para entregar ao seu cliente assim que ele solicitar um orçamento e vai saber que está completamente apto a executar esses projetos que chegarão até você.

Em resumo você vai poder se preparar de maneira adequada para atender seus futuros clientes.

Eu sei que a princípio você pode pensar que já tem tudo isso definido em sua cabeça mas confia em mim, é muito melhor quando você pensa sobre isso e lista os serviços que irá oferecer.

Quais serviços devo oferecer?

homem sentado e fazendo anotações em um caderno
Quando estiver listando esses serviços pense em suas habilidades e também nos tipos de serviço que gosta de realizar

Muito bem vamos ver como isso se aplica na prática.

Primeiramente dedique um tempo para pensar nos serviços que pretende oferecer de acordo com suas habilidades e capacitação. Comece a listar em um bloco de anotações tudo aquilo com o que você pretende trabalhar.

Mesmo que você seja um designer especialista é importante que você entenda que seu trabalho pode acabar sendo utilizado em diferentes aplicações ou mesmo possuir diferentes serviços.

Por exemplo, um designer especializado em criação de marca ainda pode definir que irá trabalhar com naming, redesign de marcas, criação de manual de uso da marca, etc.

Por isso, caso você seja um especialista, deve avaliar se seu trabalho não pode oferecer alguns tipos de projetos relacionados ou pertencentes à sua especialidade.

Você pode utilizar alguma tabela como referência para ter noção de alguns tipos de projetos mais comuns no mercado de design.

Uma das tabelas mais conhecidas e que considero ser a mais completa é a tabela da ADEGRAF (Associação dos Designer Gráficos), nela você tem a lista dos serviços mais comuns além de esses trabalhos ainda virem com sugestões de preços.

Não pense em preço nesse momento, por enquanto quero apenas que você defina os serviços que irá oferecer.

Quando estiver listando esses serviços pense em suas habilidades e também nos tipos de serviço que gosta de realizar e de maneira alguma liste um serviço do qual você não possui conhecimento nenhum.

Muito bem, feito isso agora você precisa colocar sua lista em uma tabela, de preferência que seja digital. Agora sim você deu o primeiro passo para ter sua rotina de trabalho organizada.

03 – Definir seus preços

homem utilizando calculadora de mesa
Para trabalhar como freelancer é indispensável que você saiba o valor justo que deve cobrar pelo seu trabalho

Quando estamos começando, uma das primeiras dúvidas que temos é: quanto devo cobrar pelo meu serviço? Talvez você já tenha passado pela situação de alguém lhe perguntar quanto você cobra para fazer um projeto de design e ficar sem saber o que responder.

Sempre dá aquele medo de cobrar um valor absurdo e perder o cliente ou de cobrar um valor muito abaixo do mercado e acabar trabalhando muito e recebendo pouco

Para trabalhar como freelancer é indispensável que você saiba o valor justo que deve cobrar pelo seu trabalho e é justamente isso que vou te ensinar agora.

Algo que você precisa entender antes de mais nada é que não existe uma fórmula fixa para estabelecer o preço de um projeto de design.

Muitos fatores influenciam na hora de determinar o valor final que você vai cobrar pela execução de um determinado projeto, como por exemplo o nível de complexidade do projeto, a concorrência do mercado, o porte da empresa do seu cliente, etc, essas e outras coisas devem ser levadas em consideração.

Saber administrar as finanças do seu trabalho como freelancer não é algo simples, é preciso ter muita dedicação e atenção com vários fatores como custo de produção, taxas, lucro e muito mais.

Aqui não vou explorar cada um desses fatores e sim te mostrar de forma objetiva como calcular o custo de um projeto e vou fazer isso com base na maneira como eu faço para definir meus preços pois é uma forma segura de definir quanto cobrar por um projeto de design.

Criar uma tabela de preços para o seu negócio

mesa com bloco de notas e calculadora vistos de cima
Você sabe montar uma tabela de preços para seus projetos?

A maneira que considero ser a mais prática para definir o custo de seus projetos é criar uma tabela com os tipos de projetos mais comuns que você oferece.

Você já deve ter criado uma tabela em que lista os tipos de serviços que pretende oferecer como designer freelancer, agora você vai utilizar essa mesma tabela e vai definir um preço para cada um desses serviços.

Para definir o custo a ser cobrado por um projeto você precisa fazer basicamente o seguinte, pegar o tempo médio que você leva para finalizar o projeto e multiplicar pelo custo da sua hora de trabalho.

Vamos supor que você quer definir o custo para criar um flyer, agora vamos supor que você realiza essa tarefa em uma média de 6h, vamos dividir essas 6h como sendo 1h de análise de briefing e pesquisa, 1h de rascunhos, 3h de criação no software e 1h preparando uma apresentação da sua proposta (deixando bem claro que esses valores são hipotéticos).

Supondo que o preço da sua hora de trabalho é R$ 25,00 o valor médio para a criação de um flyer seria de R$ 150,00. Ou seja R$ 25,00 que é o custo da sua hora de trabalho multiplicado por 6h que é o tempo que você leva para criar um flyer.

Agora você deve utilizar esse mesmo cálculo para todos os outros tipos de projetos que estão na sua tabela. É importante que você utilize esses preços como referência, ou seja, em alguns momentos pode haver a necessidade de que eles sejam ajustados de acordo com as necessidades específicas de cada projeto.

Mesmo assim você vai acabar tendo muitos projetos com briefing semelhante e vai poder utilizar os valores da sua tabela de forma segura e sem precisar fazer nenhum ajuste.

Caso você ainda não tenha feito nenhum projeto anteriormente (e isso dificultaria de ter uma noção mais precisa) você ainda pode definir um tempo médio para utilizar no cálculo imaginando quanto tempo leva para fazer um determinado projeto ou mesmo com base em trabalhos feitos na faculdade ou aqueles desenvolvidos para você mesmo.

Como eu disse antes não existe uma fórmula fixa e totalmente precisa de quanto cobrar pelo seu trabalho e as vezes você só vai conseguir acertar depois de alguns erros.

Como calcular sua hora de trabalho?

homem usando calculadora de mesa e fazendo anotações em um caderno
Para saber quanto custa sua hora de trabalho você terá que fazer alguns cálculos

Agora você precisa saber quanto custa sua hora de trabalho pois vai precisar dessa informação para fazer o cálculo anterior. Vou te ensinar uma forma simples e prática de definir esse valor.

Primeiramente você precisa decidir quanto gostaria de ganhar por 1 mês de trabalho, vamos supor que o valor que você escolheu seja de R$ 4000.

Agora basta dividir esse valor pelo número de horas trabalhadas em 1 mês, que nesse nosso exemplo seria de 160 horas, que é o mesmo que 8 horas de trabalho por dia durante 4 semanas, ou seja, 1 mês de trabalho.

O resultado desse cálculo é 25, ou seja, 4000 dividido por 160, isso significa que sua hora de trabalho custa R$ 25,00.

Outras tabelas de preços

homem utilizando o celular em frente ao notebook
Cada profissional conhece melhor do que ninguém quais são as suas despesas, seus investimentos e o valor do seu trabalho

Se você pesquisar na internet vai conseguir encontrar outras tabelas de preços para projetos de design. Uma das mais conhecidas e utilizadas hoje em dia é a tabela da ADEGRAF (Associação de Designers Gráficos) que eu já mencionei anteriormente e que indica os preços dos projetos mais comuns realizados por designer gráficos como criação de marca, materiais impressos, ilustrações, etc.

Essa é uma tabela que causa divisão de opiniões já que alguns designer gostam de utilizá-la como referência enquanto outros consideram seus preços muito elevados para alguns nichos de mercado.

Isso só reforça o que eu disse anteriormente, ou seja, definir um preço justo para seu trabalho é um pouco mais complexo do que simplesmente utilizar uma tabela pronta feita por outro profissional ou grupo de profissionais.

Mesmo assim é possível utilizar esse cálculo que ensinei e assim encontrar pelo menos um valor seguro para você estabelecer o preço do seu serviço.

Isso significa que você não pode utilizar uma tabela pronta como a da ADEGRAF? Não, o que eu quis dizer é que você deve utilizar esses preços de tabelas prontas como parâmetro e não como uma regra.

Mais uma vez eu reforço que o que considero ideal é que você estabeleça sua própria tabela de referência de preços, afinal cada profissional conhece melhor do que ninguém quais são as suas despesas, seus investimentos e o valor do seu trabalho.

04 – Definir sua identidade

homem desenhando em frente ao computador
Se escolher não ter uma marca gráfica você terá que possuir pelo menos um nome profissional que deve estar em algum material de comunicação seu

Para trabalhar como freelancer não é obrigatório que você tenha uma marca gráfica, como um logotipo, por exemplo. Alguns freelancers escolhem ter uma marca gráfica e outros não.

Eu por exemplo logo no começo de minha carreira como designer escolhi ter uma marca, porém ela não me agradou e mesmo tendo utilizado ela por um bom tempo acabei escolhendo não ter uma marca, pelo menos por enquanto e isso vem se mantendo até hoje.

Se escolher não ter uma marca gráfica você terá que possuir pelo menos um nome profissional que deve estar em algum material de comunicação seu, como seu site e em suas redes sociais, por exemplo.

Sua identidade não é apenas a sua marca mas sim todo o conjunto de elementos que personificam o seu negócio como por exemplo a maneira de se comunicar, a maneira como se veste, a maneira como se posiciona nas redes sociais, etc.

Se você quer começar imediatamente a trabalhar como freelancer mas ainda assim quer ter uma marca gráfica, recomendo que não perca muito tempo no desenvolvimento do projeto.

homem desenhando ideias de marca em um caderno de esboços
O perfeccionismo exagerado pode lhe travar e levar a entrar em um ciclo de constantes alterações

Um dos principais problemas de se criar a própria marca é ter de vencer o perfeccionismo, não deixe que isso atrapalhe o avanço de seu trabalho. Procure desenvolver algo simples, objetivo e que transmita a ideia principal de seu trabalho e sua postura profissional.

Não recomendo que invista muito tempo nesse projeto pois quando desenvolvemos uma marca para nós mesmos é comum ficarmos perdidos em alterações infinitas, com resultados que não nos deixam satisfeitos e isso acaba atrasando muito o início de nosso trabalho.

Todos queremos ter uma marca legal, que reflita tudo aquilo que desejamos oferecer como profissionais, ter uma marca que se destaque e que por si só reflita suas melhores qualidades.

Porém o perfeccionismo exagerado pode lhe travar e levar a entrar em um ciclo de constantes alterações e no final você ainda não estará satisfeito com o resultado.

Não estou dizendo aqui que você precisa usar qualquer coisa como marca, mas sim que precisa fazer isso de uma forma mais eficiente.

Desenvolvendo sua própria marca gráfica

homem mostrando sketchbook com esboços de logotipo
Saiba a hora de parar de ficar se dedicando em alterações infinitas, lembre-se, sua marca nunca estará boa o suficiente para você

Primeiramente eu recomendo que você compartilhe seu processo criativo com alguém de sua confiança, peça feedback a ela e procure considerar os comentários.

O ideal seria que essa pessoa entenda pelo menos um mínimo de design ou que também seja um profissional de área criativa.

Outra coisa que é importante é você saber a hora de parar de ficar se dedicando em alterações infinitas, lembre-se, ela nunca estará boa o suficiente para você.

Tenho certeza que observando esses pontos você vai conseguir desenvolver uma marca própria sem muita dor de cabeça e ainda assim poderá aperfeiçoá-la futuramente.

Eu particularmente recomendo que se você não tem uma marca gráfica, procure começar mesmo sem ela. Você pode desenvolvê-la com o tempo e incluí-la em seu material de divulgação futuramente.

05 – Gerenciar seu tempo

mulher utilizando agenda
Algo que é fundamental em sua rotina como freelancer é a definição de um horário de trabalho

Se você quer ser um freelancer bem sucedido é essencial que saiba administrar seu tempo. Além de suas tarefas na parte criativa você terá várias tarefas administrativas e também vai precisar separar um tempo para si mesmo, para descansar e ter uma vida fora da rotina do trabalho.

Comece tendo uma agenda, ela pode ser física ou virtual, você pode usar um caderno ou um aplicativo onde você pode listar suas tarefas em um determinado horário. Recomendo que seu planejamento ao final de cada dia, reserve pelo menos 1H para listar as tarefas administrativas e de criação que você terá que fazer no dia seguinte.

No trabalho como freelancer você acaba intercalando entre meses em que não tem nenhum projeto para executar e meses em que você precisa se desdobrar e até virar a madrugada para atender a demanda de clientes. Por isso é importante que você também tenha um sistema de gerenciamento de projetos, nele você deve ver todos os seus projetos em andamento e em que fase estão.

Nesses momentos de alta demanda é importante que você tenha consciência da sua capacidade de criação e que as vezes não terá como aceitar todos os projetos que aparecerem. Nessa hora você tem algumas alternativas, uma delas é colocar o prazo de entrega de um projeto novo para depois da conclusão de um projeto em andamento, porém nesse caso você vai precisar contar com a aceitação do seu cliente.

Uma outra alternativa bastante comum é você repassar essa demanda para um outro profissional e apenas ganhar uma comissão em cima desse projeto, em alguns casos isso pode se aplicar de forma bem eficiente, você mantem o cliente, ajuda outro profissional e ainda ganha por esse projeto, mesmo que seja pouco.

Uma outra opção é simplesmente não aceitar novas demandas de projetos até que abra espaço em sua agenda de trabalho e você consiga se dedicar a um novo cliente. É muito importante que você saiba gerenciar sua capacidade produtiva de forma equilibrada.

Definir um horário de trabalho

Algo que é fundamental em sua rotina como freelancer é a definição de um horário de trabalho. Pode parecer simples ou algo banal mas muitos criativos tropeçam justamente nisso.

Talvez esse seja um ponto do trabalho como freelancer que tenha surpreendido você, afinal de contas temos uma tendência a acreditar que o designer freelancer não tem um horário fixo e trabalha quando bem entender.

Realmente existem profissionais que trabalham dessa forma, no entanto a maioria acaba tendo dificuldades em se manter produtivo justamente por não ter um horário de trabalho definido.

Ter um horário definido para trabalhar e organizar o seu negócio como freelancer é essencial para você se manter produtivo.

Ao definir um horário você não deixa sua rotina solta e não perde seu tempo com coisas que não lhe ajudarão a desenvolver o seu negócio e a trazer lucro pra ele.

Você pode pensar que as atividades de um freelancer se resumem a apenas ficar na frente do computador desenvolvendo projetos, porém a realidade não é bem assim.

A rotina de um freelancer envolve muitas outras coisas que vão além de simplesmente desenvolver projetos, você ainda deve cuidar da parte financeira, prospectar clientes, organizar os documentos da empresa, cuidar do portfólio, da limpeza do seu espaço de trabalho e muito mais.

A vantagem de horário quando se trabalha como freelancer é você ter a liberdade para escolher o seu melhor horário para trabalhar e poder fazer alterações conforme a sua necessidade.

Se você gosta de dormir até um pouco mais tarde então considere se não é uma boa ideia começar a trabalhar as 10h e estender seu horário de trabalho até as 20h por exemplo.

Ou você ainda pode optar por iniciar o seu trabalho bem cedo, logo no início do dia e assim estar livre mais cedo para poder se dedicar a outros compromissos.

Sendo assim estabeleça um horário de trabalho para iniciar e terminar suas atividades, defina um horário para almoço e qualquer outro tipo de intervalo que você acredite que precise.

Depois de estabelecer esse período não se esqueça de procurar cumpri-lo e caso haja algum imprevisto em seu dia procure compensar qualquer mudança de horário.

Não se esqueça que o trabalho como designer freelancer exige organização, e o bom gerenciamento do tempo está incluído nisso.

06 – Local de trabalho

designers trabalhando em escritório compartilhado
Seu local de trabalho vai ter grande influencia em seus resultados e qualidade profissional

Agora você precisa definir qual será o seu local de trabalho. Como você é um profissional freelancer vai ter a liberdade de trabalhar de onde quiser. O mais importante é que você tenha um espaço de trabalho que lhe dê conforto e permita que você suas tarefas de forma eficiente.

É importante que antes mesmo de você iniciar suas rotinas de trabalho e começar a anunciar que está trabalhando como freelancer, que você defina onde irá trabalhar.

O primeiro local que você provavelmente pensou em trabalhar é sua própria casa, afinal de contas a questão economia e conforto pesam bastante a favor dessa opção. Você já conhece esse local e se sente super a vontade com ele, além disso economiza com despesas e tempo já que você não terá que se deslocar para um escritório.

Outra opção que você tem é usar os escritórios compartilhados, os chamados coworkings. Neles você pode dividir um escritório com outros profissionais de outras empresas. Você possui uma estação de trabalho e pode usufruir de todos os recursos e ferramentas inerentes a um escritório normal, como internet, sala de reuniões, cozinha, etc.

Essa pode ser uma boa opção para quem está no começo e precisa de uma boa estrutura para trabalhar, obviamente que esse serviço exige um investimento, no entanto ainda seria mais barato que alugar uma sala exclusiva.

A terceira opção não é a mais barata mas em termos de qualidade profissional pode ser considerada a melhor, que é você ter o seu próprio escritório. Aqui você tem total liberdade sobre toda a estrutura do escritório além de poder utilizá-lo como bem entender. É importante que você saiba também que todos os custos serão maiores e estarão apenas sob sua responsabilidade.

Trabalhando em home office

Entre essas opções, aquela que merece destaque é trabalhar em casa, o chamado home office. Afinal de contas essa é a opção mais comum de ser escolhida por quem está começando já que o investimento necessário é baixo.

Trabalhar em casa tem suas vantagens mas também tem algumas desvantagens.

Trabalhar em casa aliás, é justamente um dos principais motivos para que muitos freelancers não consigam se desenvolver profissionalmente e alcançar a independência financeira trabalhando apenas como freelancer.

Isso por que trabalhar em casa exige disciplina e organização, características que as vezes faltam em alguns criativos.

Em todos esses anos que trabalho como designer freelancer aprendi bastante sobre a rotina de trabalho em casa e pude identificar alguns pontos que são extremamente importantes na hora de decidir trabalhar em home office.

A primeira coisa que você precisa fazer é identificar se você tem um bom local para trabalho em sua própria casa e nessa hora é importante levar em consideração alguns pontos como por exemplo:

  • Em qual ambiente da sua casa será o seu escritório?
  • Você dividirá esse espaço com outras pessoas?
  • Você terá condições adequadas de trabalho como por exemplo uma cadeira e uma mesa próprias?
  • Esse local é silencioso?

Esses são apenas alguns exemplos de questões que você precisa considerar na hora de decidir trabalhar em casa e em qual ambiente você irá realizar as suas atividades profissionais.

Outra coisa importante de fazer é informar seus familiares e as pessoas que moram com você, que a partir de agora irá trabalhar em casa, que precisará cumprir um horário e que não está ali simplesmente navegando na internet e sim trabalhando.

Algo que as vezes é difícil mas que ajuda bastante em sua rotina no home office é isolá-lo de alguma forma dos outros usuários da casa, afinal pode acontecer de você não ter um espaço exclusivo apenas para você, como a sala da sua casa por exemplo.

Não importa qual seja a situação do seu home office, aqui vai uma dica que se aplica a qualquer freelancer, evite ao máximo trabalha sentado ou deitado em cima da sua cama, isso pode atrapalhar em muito a sua produtividade.

Acima de tudo você deve entender que seu local de trabalho vai ter grande influencia em seus resultados e qualidade profissional, invista nele, mesmo que seja aos poucos.

07 – Portfólio

homem segurando placa com o símbolo do Behance
Hoje em dia é indispensável que você tenha um portfólio na internet

Uma coisa que vai ser determinante para você conseguir seus primeiros clientes é o seu portfólio. Ele nada mais é do que um local em que você mostra seus principais projetos desenvolvidos ao longo de sua carreira.

Hoje em dia é indispensável que você tenha um portfólio na internet, geralmente um site ou um perfil profissional em uma rede social, até mesmo algumas plataformas são voltadas para serem utilizadas como portfólio para profissionais criativos.

Independente se você terá seu próprio site ou vai utilizar uma plataforma de portfólios, o mais importante é que seu portfólio tenha uma aparência profissional, desde sua biografia até a apresentação de seus projetos.

Como começar meu portfólio online de design

Para alguns designers começar um portfólio online pode parecer algo complicado. Embora seja algo de grande importância para qualquer profissional criativo, esse processo pode ser mais simples do que parece.

O portfólio é uma ferramenta que deve estar em constante aperfeiçoamento, tanto no seu design quanto no seu conteúdo.

Por isso é importante que você tenha a consciência de que ele nunca estará perfeito e se você for o responsável pelo desenvolvimento dele as chances de ele não estar totalmente do seu agrado são ainda maiores.

Sendo assim a minha primeira dica para você é: simplesmente comece. Isso mesmo, comececomece com os recursos que tem, mesmo que eles sejam limitados e ainda não sejam os ideais mas comece.

E para começar você terá que ter apenas 2 coisas, a primeira delas é um trabalho para exibir, você só consegue ter um portfólio online se tiver pelo menos um trabalho para apresentar.

Se já tiver um projeto ou alguns projetos, destine um tempo para organizá-los, salvando boas imagens e criando mockups para utilizar em sua apresentação.

A segunda coisa que você precisa é uma plataforma online e gratuita. Hoje na internet já temos algumas boas opções de sites que oferecem o serviço de criação de portfólio online gratuitamente.

Destine um tempo também para avaliar qual a plataforma que melhor se adapta as suas necessidades, ao seu estilo de trabalho e com que você tenha afinidade para trabalhar.

Muito provavelmente esse portfólio online será desenvolvido por você, então tenha a certeza de que gosta da plataforma que escolheu. Passe um tempo estudando ela, prepare sua apresentação com cuidado mas sem o perfeccionismo que tende a acompanhar os criativos que criam algo para si.

Qual a melhor plataforma para desenvolver meu portfólio online?

Essa é uma das principais dúvidas de quem pretende montar um portfólio de design. A plataforma que você irá utilizar é decisiva na apresentação de seu trabalho e consequentemente no retorno que você espera de seus futuros clientes.

Hoje em dia existem diversas plataformas disponíveis para a criação de portfólio online de design. Algumas dessas plataformas são gratuitas, como as redes sociais por exemplo e outras são pagas como os sites criados em wordpress.

Definir qual é a melhor dessas plataformas é uma tarefa um tanto quanto complicada uma vez que todas possuem características específicas e formas diferentes de permitir que você apresente seu trabalho.

Quando me fazem essa pergunta eu sempre gosto de dizer o seguinte: se você tem condições financeiras para investir em seu portfólio o ideal é ter um site totalmente seu, personalizado de acordo com o seu trabalho e seu perfil profissional.

E para isso eu sempre recomendo o WordPress, pois é uma plataforma simples, de fácil utilização e edição, que pode ser facilmente utilizada por qualquer pessoa, seja profissional de web ou não.

Ter seu próprio site, com um domínio personalizado é o ápice de sua apresentação como profissional, transmite profissionalismo e uma identidade mais marcante para você. E para esse caso eu sempre recomendo o WordPress.

Nesse caso você teria que pagar por uma empresa que realize a hospedagem do seu site e comprar o domínio dele, ou seja o endereço do site (www.exemplo.com).

Caso você não tenha nenhuma habilidade com web design ou não queira “por a mão na massa” também terá que contratar outro profissional para desenvolver seu site e subir seus trabalhos para a internet.

Opções gratuitas

Caso você não tenha recursos no momento, pode optar também pelas plataformas gratuitas, que podem ser tanto sites especializados em portfólio quanto também as redes sociais.

Como eu disse anteriormente é difícil definir qual é a melhor dessas plataformas. Eu particularmente recomendo que você testes em pelo menos 3 delas, assim você pode identificar qual é aquela que melhor se adapta ao seu tipo de trabalho, ao seu cliente e ao seu perfil.

Todas essas plataformas possuem vantagens e desvantagens, aquela que eu mais gosto pode não ser a que você mais vai gostar, por isso eu sempre digo que o ideal nesse caso é experimentar e fazer testes.

Para não te deixar na mão eu vou te dizer quais são as que eu mais gosto. Particularmente tenho uma preferência pelo Behance, pois é uma plataforma de portfólios online que também funciona como rede social, permitindo a sua interação com outros criativos.

Ela também possui um bom nível de recursos de apresentação de seus trabalhos, permitindo que você consiga descrevê-lo, detalhá-lo com textos, imagens, vídeos, áudio, integração com outras plataformas e assim por diante.

Gosto muito de usar também o Instagram, ele não é uma plataforma específica para portfólio online porém pode ser utilizado para apresentar mais detalhes ou bastidores de cada projeto, além de permitir que você interaja com a comunidade criativa.

Alguns artigos aqui do Clube do Design podem te ajudar a utilizar melhor o Instagram na divulgação de seu portfólio:

Abaixo você confere uma lista de outros serviços de criação de portfólio online e gratuitos que podem te ajudar, tente experimentar alguns deles e avalie com quais você se adapta melhor:

  • Carbonmade – Rápido de configurar e fácil de usar porém com resultados não tão sofisticados.
  • DeviantART’s – Esse tem um bom equilíbrio entre versatilidade, profissionalismo, simplicidade e usabilidade.
  • Krop Creative Database – Serviço muito bom e que permite que você migre para uma versão premium.
  • Cargo Collective – Esse oferece facilidade de manutenção de conteúdo além de amplos recursos de personalização.
  • Coroflot – Oferece interface limpa e sua biografia recebe um bom destaque.
  • Flickr – Uma das redes sociais voltadas para a criatividade mais populares do mundo.
  • RedBubble – Comunidade voltada para artes e ofícios com ênfase em comércio eletrônico.
  • Tumblr – Sua melhor qualidade é a simplicidade.

Independente de qual plataforma você escolher é sempre importante que você como profissional criativo tenha seu portfólio online e o mantenha sempre atualizado com seus melhores trabalhos.

Montar um portfólio sem ter projetos

Se tem uma coisa que aprendi em todos esses anos como designer gráfico freelancer é que o portfólio é extremamente necessário! Um cliente que esteja lhe sondando não vai te contratar unicamente por que você é legal ou por que já está fazendo faculdade, eles querem ver resultados.

Durante muito tempo acreditei que poderia conseguir clientes mesmo sem ter um portfólio, apenas dando minha palavra de que tinha capacitação para conseguir entregar o projeto com qualidade. Esse foi meu maior engano no início da minha carreira.

O cliente não quer ter dúvidas quanto a sua capacidade de entregar o projeto da maneira como ele quer e precisa. Ele quer ter a certeza de que você é o profissional que vai atender as necessidades do projeto dele. E não adianta você reclamar dizendo que ninguém te dá oportunidade, pois no lugar dele você faria a mesma coisa.

E por que ele iria contratar um designer sem portfólio quando pode contratar qualquer um dos milhares que estão espalhados por aí e que pelo menos tem um portfólio online?

Mas fica calmo pois foi pensando justamente nessa dificuldade de quem está começando que agora vou te ensinar como você pode ter um portfólio sem mesmo nunca ter tido um cliente antes.

Realize projetos autorais

Sua principal fonte para abastecer seu portfólio enquanto você não tiver clientes são os projetos autorais ou projetos fantasmas, que são aqueles projetos que você desenvolve para você mesmo, apenas para exercitar suas habilidades ou para projetos pessoais.

Um bom exemplo disso é a criação da sua própria marca, caso você tenha uma. Você também pode criar um conjunto de ilustrações com um tema, pode recriar o design de um website, fazer uma proposta de marca para uma empresa fictícia, etc.

Aqui é importante que algo fique bem claro, esse trabalho autoral deve ser bem feito, deve ser um trabalho com um mínimo de desafio e que mostre o máximo de suas habilidades.

Não precisa ser um projeto super inovador mas ele tem que ser o seu melhor, afinal de contas ele não é um projeto para um cliente real, então isso pode pesar para alguns de seus futuros clientes.

Embora um trabalho autoral não seja para um cliente real e que te permita ter a experiência que o desenvolvimento de um projeto oferece, ele ainda é uma boa opção para mostrar suas habilidades criativas e técnicas como o uso de determinados softwares por exemplo.

Esse tipo de projeto já diminui consideravelmente os receios do seu futuro cliente quanto a sua capacidade de entregar o projeto que ele precisa.

Aproveite o seu tempo livre para tocar esse trabalho, sempre buscando fazê-lo utilizando as melhores técnicas de pesquisa e projeto, buscando um embasamento teórico, assim seu trabalho fica tecnicamente melhor e com certeza pode ser a porta de entrada para seus primeiros clientes reais.

Realize projetos voluntários

Outra maneira excelente de garantir o seu primeiro projeto no portfólio é através da realização de trabalhos voluntários. Muitas ONGs não estão por aí precisando de uma marca, uma arte para redes sociais ou de um site para apresentar seus trabalhos.

Essa também é uma das melhores opções para você conseguir um projeto para colocar em seu portfólio, primeiro por que você estará tendo a oportunidade de ajudar as outras pessoas de alguma forma através dos seus talentos.

Segundo por que isso irá te colocar  de frente para uma situação real de projeto, envolvendo prazos, briefing, alterações, etc.

Ou seja, tudo aquilo que um projeto real oferece e que muitos clientes em potencial valorizam na hora de escolher um designer para contratar.

O ponto principal dessa dica é a seguinte: não é por que é voluntário que você irá fazer de qualquer jeito! Lembre-se que estou te dizendo que esse projeto é para ir para o seu portfólio, sendo assim você deve se empenhar para fazer um trabalho de qualidade e que você terá orgulho de apresentar aos seus futuros clientes.

Lembre-se também que você terá todas as implicações de um projeto real como prazos apertados, briefing pouco claro, cliente indeciso, etc.

Pense porém que essa é a oportunidade perfeita de você se mostrar não apenas um bom profissional técnico como também sua habilidade como gestor de projeto e solucionador de problemas.

Utilize seus trabalhos acadêmicos

Os trabalhos acadêmicos também são algumas das melhores fontes de projetos para portfólio. Na internet é possível encontrar vários profissionais de qualidade com portfólios que apresentam trabalhos desenvolvidos na faculdade.

Sendo assim comece a considerar a possibilidade de publicar em seu portfólio projetos que você desenvolveu em suas atividades acadêmicas.

Esse tipo de trabalho também é muito bom como prova de suas habilidades pois ele tenta se aproximar do que seria um projeto real, pois também tem um briefing, prazo de entrega e as vezes um “cliente” exigente que no caso seria o seu professor.

Aqui vale a mesma regra que já citei anteriormente, ou seja, utilize apenas aqueles projetos acadêmicos que realmente tenham sido bem projetados, que tenham uma solução criativa e que demonstre suas habilidades, afinal de contas você não vai querer apresentar ao seu futuro cliente um trabalho medíocre que você fez de qualquer jeito.

Caso você ainda esteja na faculdade aproveite para dar o máximo de suas habilidades em seus projetos acadêmicos já pensando em apresentá-los em seu portfólio.

Procure fazer um algo a mais e dedicar umas boas horas na execução dele, converse com seus professores e peça ajuda, pergunte no que pode melhorar ou que outras soluções seriam possíveis.

Caso o projeto não esteja bom o suficiente para ser apresentado em seu portfólio, trabalhe um pouco mais nele, mesmo que o prazo de entrega já tenha se cumprido.

Lembre-se que o mais importante é que esse trabalho esteja bem executado e represente as suas melhores habilidades.

Seu portfólio é a principal ferramenta que você pode ter para conseguir viver de design. E é por isso que ele é uma ferramenta “viva” que você precisa estar continuamente mantendo e revisando.

Eu sei que é um grande desafio para quem está começando na carreira como designer ter um portfólio e apresentar um trabalho bacana, mas acredite em mim, depois de ter seus primeiros trabalhos em seu portfólio as portas do mercado vão começar a se abrir para você.

08 – Divulgação e marketing pessoal

duas pessoas se cumprimentando com aperto de mão
O freelancer é um empreendedor, por isso uma de suas responsabilidades é a de divulgar seu trabalho

Algo que você precisa entender logo é que o freelancer é um empreendedor, por isso uma de suas responsabilidades é a de divulgar seu trabalho e buscar por oportunidades de trabalho. Esse é um processo extremamente importante para o sucesso do seu negócio, você sempre vai precisar de clientes e de preferência bons clientes.

Quando decidimos iniciar nossa carreira como freelancer, uma das primeiras dificuldades com que nos deparamos é em conseguir nosso primeiro cliente. Isso acontece devido ao fato de ainda não estarmos bem estabelecidos no mercado e não possuirmos uma base de clientes bem estabelecida.

Informe sua rede de contatos

Conte com a ajuda dos seus contatos, muito provavelmente você ainda não possui uma boa rede de contatos profissionais mas pode contar com seus familiares e amigos.

Informe a eles que agora você trabalha como freelancer, faça uma breve descrição de seus serviços e peça a eles que lhe indiquem para pessoas que possam estar interessadas.

Chame a atenção para o seu trabalho

Utilize suas redes sociais para divulgar seu trabalho e atrair a atenção de possíveis clientes. Mostre seu processo criativo e até mesmo trabalhos experimentais como sketchs e ilustrações.

Não esqueça de informar seu e-mail ou telefone para contato. Pode levar um pouco mais de tempo mas essa forma também é bastante eficiente.

Busque de forma ativa

Outra ótima forma de conseguir seu primeiro cliente é entrar em contato diretamente com ele. mande um e-mail, telefone ou faça uma visita, agende um horário se for necessário e apresente uma proposta para melhorar a marca, o web site ou a identidade visual da empresa.

Inclusive no Freelancer Toolkit desenvolvemos alguns modelos de e-mail excelentes para fazer o primeiro contato com um cliente em potencial e apresentar uma proposta de projeto.

Então se você não sabe como fazer esse contato dá uma olhada nesse kit que tenho certeza que esses modelos de e-mail vão te ajudar nesse trabalho.

Essas são dicas básicas que podem te ajudar bastante na hora de conseguir seu primeiro cliente como freelancer, já quero te adiantar que isso as vezes pode demorar um pouco mas seja perseverante que os clientes surgem naturalmente conforme você vai se estabelecendo no mercado.

09 – Atendimento

homem digitando em notebook
É importante você definir seus canais de comunicação oficiais para que esteja preparado para atender seus clientes da melhor forma

Um ponto que é importante no trabalho como freelancer e que muitos profissionais acabam negligenciando é o atendimento ao cliente. Você precisa entender que esse muitas vezes é seu primeiro contato com um possível contratante interessado em seu trabalho, sendo assim as primeiras ações são decisivas para causar uma boa impressão e principalmente transmitir confiança.

Primeiramente você precisa definir quais são seus meios de contato oficiais. Com certeza você terá que ter um e-mail profissional e hoje em dia já é bastante utilizado os aplicativos de mensagem instantânea como WhatsApp e Telegram. Ainda temos os contatos que podem ser feitos pelas suas rede sociais.

É importante você definir seus canais de comunicação oficiais para que esteja preparado para atender seus clientes da melhor forma para cada um deles. Você pode já deixar algumas mensagens prontas para servirem de respostas automáticas em situações específicas como pedidos de orçamento e envios de propostas.

Tenha sempre atenção para passar profissionalismo em todos seus meios de contato, evite gírias, abreviações e qualquer vício de linguagem que deixe a comunicação muito informal, isso prejudica bastante a visão que seu cliente tem sobre você e consequentemente sobre a qualidade do seu serviço.

10 – Entrar em ação

homem trabalhando em home office
O principal nesse momento é iniciar suas atividades e procurar ao máximo se organizar e manter seu negócio sempre funcionando

A etapa final desses primeiros passos com certeza é começar a entrar em ação, oferecer seus serviços e buscar o aperfeiçoamento constante de seu trabalho. Ser freelancer é algo que não é fácil, existem muitos e muitos outros pontos que ainda poderíamos abordar, porém são assuntos que exigem um pouco mais de aprofundamento e que você aprenderá com o tempo.

O principal nesse momento é iniciar suas atividades e procurar ao máximo se organizar e manter seu negócio sempre funcionando. Os primeiros momentos podem ser difíceis, você vai se sentir perdido em algumas coisas mas saiba que isso é normal, todo empreendedor passa por isso.

É fundamental que você busque o seu aperfeiçoamento em tudo, melhore suas habilidades, seus processos, sua estrutura e tudo aquilo que de alguma forma possa deixar o seu trabalho ainda melhor.

Existem muitas coisas que você só irá aprender com o tempo e principalmente com a prática, também vai ver quais são as técnicas e processos que melhor se aplicam ao seu trabalho e sua rotina profissional. Entenda que se estabelecer de forma consistente no mercado é algo que leva tempo mas que é bastante recompensador, a sensação de ter seu trabalho reconhecido e poder gerenciar seu negócio é incrível e vale todo o esforço.

Então é isso aí criativo, espero que esse conteúdo tenha lhe ajudado de alguma forma, se tiver qualquer dúvida pode compartilhar com a gente aí nos comentários, vai ser um grande prazer lhe ajudar.

Um grande abraço e até a próxima.

Comentários

O que você achou deste texto? Use a seção de comentários abaixo para tirar suas dúvidas, sugerir novos conteúdos ou para conversar comigo e a comunidade.

5 3 votes
Deixe sua nota
Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Mateus Carchedi
27/07/2021 22:57

Muito obrigado pelas suas dicas e conhecimentos… Estou tentando me organizar para trabalhar como freelancer e com essa base de conhecimento sei que conseguirei enfrentar os desafios de trabalhar por conta!