Quanto cobrar pela minha arte?

Aprenda todos os passos desde o levantamento de custos até o cálculo do percentual de lucro e descubra quanto cobrar pela sua arte e evitar prejuízo.
Entre para o meu grupo no Telegram e receba conteúdos exclusivos.
Anúncio

Afinal, quanto cobrar por uma arte?

Quanto cobrar por um logotipo? Por um flyer? Você sabe quanto vale o serviço de criação de um projeto de identidade visual?

O primeiro desafio de quem começa como designer freelancer é decidir quanto cobrar pelos seus serviços. Se você se perde quando vai passar um orçamento ou não sabe quanto vale o seu tempo investido em um projeto, esse texto é pra você.

Aqui eu vou abordar tudo o que você precisa saber para cobrar um valor justo pelo seu trabalho, cobrindo todas as etapas, do levantamento das despesas até a definição do seu lucro

Um guia completo para você nunca mais perder dinheiro e cobrar um preço justo pelo seu trabalho, independente do tipo de projeto que desenvolva.

Procurar por uma resposta pronta para esta pergunta não é o melhor caminho, pois existem muitas variáveis que influenciam no preço de um produto ou serviço.

Você até pode usar tabelas prontas, como a da Adegraf, mas os preços levam em conta um cenário distante da realidade da maioria dos profissionais criativos. 

Por isso, ao invés de simplesmente te dar um preço qualquer, sem nenhuma referência, eu vou te ensinar como calcular o preço ideal pelo seu serviço.

Assim você pode equilibrar o que ganha e o que gasta com as suas expectativas de lucro, adequados à realidade em que trabalha.

É tudo uma questão de custo

A precificação de qualquer produto ou serviço é baseada em custo. Isso significa que antes de determinar quanto você vai lucrar, você precisa saber quanto gasta.

O processo é simples, você deve listar todas as suas despesas, equipamentos e investimentos para descobrir quanto gasta todo mês.

Internet, telefone, aluguel, transporte, equipamentos, softwares, tudo isso precisa ser listado para você saber quanto precisa ganhar, no mínimo, só para ficar disponível para os seus clientes.

Um exemplo: Se você paga mil reais de aluguel, precisa ganhar, pelo menos, mil reais no mês para cobrir esta despesa. 

Claro que você não gasta só com aluguel e ainda precisa tirar o seu lucro, então vamos um pouco além e organizar tudo para fazer os cálculos necessários. 

Reúna todas as despesas

A melhor maneira de fazer isso é em uma planilha, por isso, abra o Excel ou o Planilhas do Google e vamos começar a montar a nossa lista.

O primeiro passo é separar os custos em duas partes: Equipamentos e Despesas mensais.

Lista de equipamentos

Na tabela de equipamentos, você deve listar todo e qualquer equipamento que utilize para trabalhar. Computadores, impressoras, scanners, monitores, mouse e teclado. Se você gastou dinheiro para comprar, tem de estar listado aqui.

Precisamos separar equipamentos de outros custos pois os equipamentos têm vida útil, ou seja, precisam ser trocados, seja por que ficam obsoletos ou por que quebram.

Então a primeira parte da sua tabela deve ficar mais ou menos assim (Você pode clicar na imagem para ampliar):

Lista de equipamentos de trabalho
Lista de equipamentos de trabalho

No meu exemplo estou usando o Planilhas do Google para construir a tabela. Eu vou deixar esta tabelinha disponível para você baixar quando terminarmos este artigo.

Lembre-se: Você deve incluir nesta primeira lista todos os equipamentos que utiliza para o trabalho. Se tem de comprar um grampeador, ele deve estar na sua lista.

Você pode colocar uma linha específica para material de escritório, se preferir, assim você deixa um valor fixo para a compra deste tipo de material.

Lista de equipamentos com a inclusão de uma linha para material de escritório.
Exemplo da lista com material de escritório

A sua lista pode mudar com o tempo, então não se preocupe, você poderá adicionar novos equipamentos e materiais à medida que for necessário. Apenas tome cuidado de organizar a planilha para evitar retrabalhos.

Preço

O próximo passo agora é colocar o preço de cada material. Coloque o valor total que você pagou por cada um deles, incluindo frete, impostos, qualquer quantia que tenha sido gasta para a compra. Veja o meu exemplo abaixo:

Lista de equipamentos com os preços adicionados.
Lista de materiais com os preços adicionados

Você pode usar a formatação de Número do seu aplicativo de planilha só pra deixar as coisas mais bonitinhas.

Selecionando os valores para formatação do número.
Fiz isso selecionando os valores digitados
Formatação de número aplicada aos valores selecionados.
E formatei usando o menu de números do Planilhas do Google

Nossa tabelinha está começando a ganhar forma.

Vida útil

Todo equipamento ou material tem uma vida útil. Isso quer dizer que ele é um recurso finito, que vai desgastando com o tempo e precisa ser trocado.

O computador envelhece, as peças dão defeito, equipamentos quebram e assim por diante. A Vida útil nos diz em quanto tempo este equipamento precisa ser trocado.

Para fins de simplificação, vamos considerar que trocaremos nosso equipamento a cada X meses, levando em conta que o equipamento novo ou substituto terá exatamente o mesmo preço do anterior.

Isso nem sempre é verdade, mas você pode estimar valores maiores na sua lista de equipamentos se achar que isso é necessário.

Então vamos estabelecer, em meses, em quanto tempo o nosso equipamento vai ser trocado. Veja o exemplo a seguir.

Lista de equipamentos com a vida útil adicionada.
Lista de equipamentos com vida útil em meses

No exemplo acima, meu computador precisará ser trocado em 60 meses, ou seja, 5 anos. Pode parecer difícil estimar estes prazos inicialmente, mas você pode fazer buscas na internet ou até mesmo consultar colegas para ter uma noção de quanto tempo duram os equipamentos que você precisa.

Com o Preço e a Vida útil listados fica muito mais fácil descobrir quanto cada equipamento vai custar mensalmente.

Custo mensal

O Custo mensal dos equipamentos é a primeira parte do nosso levantamento de custos, e isso vai nos ajudar a evitar prejuízo quando estivermos precificando o nosso trabalho.

Agora precisamos de um pouco daquele conhecimento que aprendemos nos cursinhos de informática e usar a planilha para fazer cálculos sobre os valores que listamos.

Isso é bem simples. Na coluna ao lado da Vida útil vamos descobrir o Custo mensal.

Tabela de equipamentos com uma coluna para o custo mensal.
Vamos calcular o custo mensal dos equipamentos

Para fazer o cálculo, na célula referente ao computador, digite um sinal de igualdade = para que o aplicativo entenda que você vai fazer um cálculo.

Começando o cálculo do custo de equipamentos.
Sinal de = (igual) inserido na célula

Depois é só clicar sobre o Preço do equipamento, digitar uma barra /, indicando que é uma divisão e, em seguida, clicar sobre o valor da Vida útil.

O aplicativo deve exibir a fórmula dentro da célula, no meu caso, =C4/D4. Veja o exemplo abaixo.

Calculando o preço mensal dividindo o valor do equipamento pela sua vida útil.
Fórmula para dividir o preço pela vida útil

Depois é só confirmar a edição da fórmula dando um Enter. A tabela deve exibir o resultado do cálculo.

O resultado é o custo mensal do equipamento baseado no preço dividido pela vida útil.
Resultado da divisão do preço pela vida útil

Se você estiver usando o Planilhas do Google, como eu, ele vai sugerir repetir a operação em todas as células que estão abaixo, terminando o trabalho pra você.

O Planilhas do Google pode sugerir completar as demais células automaticamente.
Se você confirmar, ele vai preencher os demais valores

Outra forma de repetir o cálculo é selecionando a célula onde o valor foi calculado pela primeira vez e puxar o pontinho no canto inferior direito (alça de preenchimento) até o final da lista.

Selecionando a célula com a fórmula.
Selecione a célula com a fórmula
Posicionando o cursor sobre a alça de preenchimento.
Posicione o cursor no ponto que fica no canto inferior direito (alça de preenchimento)
Arrastando a alça de preenchimento até o final da lista.
Arraste a alça até o final da lista
O cálculo foi repetido automaticamente.
O cálculo será repetido automaticamente

Depois é só aplicar a formatação de Número, como fizemos no preço, para os valores ficarem mais redondos.

Custo mensal formatado como número na tabela.
Números formatados

Total

Pra terminar, vamos incluir uma linha de Total, somando todos os valores. Faça isso na última linha da tabela, como no exemplo abaixo.

A linha de total deve ser adicionada no final da tabela.
Incluindo a linha dos totais

Abaixo do Custo mensal nós vamos fazer um cálculo somando todos os valores que estão ali. Para isso, comece a função Soma digitando na célula =soma(.

Iniciando a digitação da função soma.
Digite exatamente =soma(

Depois de abrir o parêntese, basta selecionar os valores que estão na coluna de custo mensal, tomando cuidado para não selecionar a própria célula onde estamos trabalhando. A função completa, no meu caso, ficou assim =soma(E4:E15).

Selecionando todos os valores do custo mensal.
Selecionando os valores de custo mensal

Depois, é só pressionar o Enter para confirmar e exibir o valor total calculado.

Valor total do custo mensal calculado.
Valor total do custo mensal calculado

Você pode colocar uma cor na linha dos totais pra dar um destaque e ficar mais fácil de identificar.

Um sombreamento foi aplicado na linha de totais.
Linha de totais destacada

Nossa primeira tabelinha de custos está pronta e descobrimos que o meu custo mensal com equipamentos é de R$ 488,61.

Pode parecer pouco, mas lembre-se que estes custos são diluídos por vários meses. O peso estará realmente nos nossos compromissos mensais, que é o que vamos listar a partir de agora.

Lista de despesas

A maior parte dos nossos custos está nos serviços que precisam ser pagos mensalmente, como as despesas com água, luz, internet, aluguel, etc.

Estes são compromissos que têm uma data de vencimento e precisam ser honrados a qualquer custo.

É por isso que é muito importante listá-los todos com cuidado para não deixar nada de fora. Já pensou chegar no final do mês e não ter dinheiro para pagar a sua conta de luz?

Na nossa planilha, vamos iniciar uma nova lista para as despesas mensais. Como você já está familiarizado com o processo, vou ser mais direto para que possamos avançar com mais fluidez a partir daqui.

O primeiro passo é listar as suas despesas fixas, como no exemplo abaixo.

Lista de despesas fixas mensais.
Liste todas as suas despesas ficas mensais

Note que na minha lista eu adicionei também despesas com faculdade, seminários e treinamentos. Estes também fazem parte dos seus custos, pois serão empregados diretamente no serviço oferecido para meus clientes.

Você pode adicionar nesta lista quaisquer outros custos que você tenha para executar o seu trabalho.

Ela pode receber ou perder alguns itens com o passar do tempo, então fique ciente de que o seu custo mensal pode variar, o que pode refletir no seu preço final, de acordo com seus próprios objetivos.

Custo mensal

Como estes custos já são mensais, não precisamos fazer cálculos em cima deles. Basta colocar ao lado o preço de cada item listado.

Não esqueça de formatar os valores digitados para números, assim a tabela fica mais organizada.

Custo mensal das despesas adicionado à tabela.
Adicione os custos mensais e formate como Números

Total

Seguindo a mesma lógica da nossa Lista de Equipamentos, vamos adicionar uma linha de totais e somar todos os nossos Custos mensais.

Somando os custos mensais.
Use a função Soma para calcular o total
Total das despesas mensais calculado.
Valor total das despesas mensais

Como você pode notar, a maior parte do meu custo está nas despesas mensais. Com estas duas tabelas prontas, temos uma boa ideia de quanto eu preciso ganhar apenas para pagar as minhas dívidas mensalmente.

A partir daqui temos tudo o que precisamos para fazer mais alguns cálculos e chegar ao resultado que precisamos: quanto cobrar pelo nosso trabalho.

Total de custos

Antes disso, vamos primeiro somar as nossas despesas, unindo os nossos custos com Equipamentos e Despesas mensais. Para isso, vamos digitar em uma nova coluna o Total de custos, como no exemplo abaixo.

Iniciando a coluna de total de custos.
Comece digitando o título para organizar a tabela

Em seguida, vamos apenas somar os valores totais que já havíamos calculado. Para isso, comece digitando o sinal de = e depois selecionando o Total dos equipamentos.

Iniciando o cálculo de total dos custos.
Digite o sinal de = para começar o cálculo, depois selecione o total de equipamentos

Em seguida, adicione o sinal de + para somar os valores, e clique no Total de custos mensais.

Adicionando os custos mensais à formula.
Digite o sinal de + e clique no total de custos mensais

No meu exemplo, a fórmula para o cálculo é =E16+H19, ao pressionar o Enter, o Planilhas do Google exibe o resultado da soma das despesas com equipamentos e custos mensais.

O resultado da soma dos custos com equipamentos e despesas mensais.
O total de custos é exibido após concluir a edição da fórmula

O meu total de custos é de R$ 4.468,30, uma senhora conta que eu preciso pagar todos os meses sem falta.

Isso significa que este é o valor mínimo que eu preciso ganhar todos os meses apenas para pagar as minhas despesas.

Você pode se assustar com este valor, mas ele está usando custos que estão presentes na minha realidade.

Você pode ter custos maiores ou menores, e é justamente este o objetivo desta primeira parte da nossa tabela.

Definindo a carga de trabalho

O próximo passo é fornecer informações que nos permitirão calcular quanto vale a nossa hora de trabalho e por quanto ela pode ser ofertada para os nossos futuros clientes.

Para isso, vamos estabelecer qual vai ser a nossa jornada de trabalho, ou seja, quantos dias no mês estaremos efetivamente trabalhando e por quantas horas por dia.

Você pode seguir o exemplo abaixo e preencher a sua tabela com os valores que desejar.

Inserindo informações de carga de trabalho.
Indique quantos dias no mês e quantas horas por dia você pretende trabalhar

Observe que, no meu exemplo, eu indiquei que vou trabalhar durante 20 dias no mês, o que é o mais comum se considerarmos o trabalho de segunda à sexta-feira.

É claro que você pode ajustar isso a seu critério, você pode preferir trabalhar um dia a mais ou um dia a menos, isso influencia diretamente no custo que a sua hora final pode valer.

Eu também adicionei uma carga horária diária de 8 horas de trabalho. O que seria iniciar as atividades às 8h da manhã e trabalhar até as 12h, retornando ás 14h e encerrando a minha jornada diária ás 18h. Mais uma vez, você pode ajustar estes valores conforme a sua realidade.

Calculando a carga de trabalho mensal

Com estas informações em nossa tabela, vamos calcular o total de nossas horas de trabalho no mês inteiro, para isso, adicione um novo campo para o Total de horas no mês, como no exemplo abaixo.

Inserindo o total de horas no mês na tabela.
Seguindo os mesmo passos anteriores adicionamos um campo para o total de horas

Então, basta calcularmos o resultado multiplicando os Dias de trabalho no mês pelas Horas de trabalho por dia, usando o sinal de =, depois selecionando o valor de dias, digitando em seguida o símbolo *, multiplicamos pelas horas de trabalho.

Calculando o total de horas no mês.
O total é obtido multiplicando os dias de trabalho no mês pelas horas de trabalho por dia.

No meu exemplo, a fórmula ficou =J7*J10, ao pressionar o Enter, o resultado da multiplicação é exibido.

O total de horas no mês é exibido.
O total de horas no mês foi calculado

De acordo com os valores que eu forneci, eu trabalharia 160 horas por mês. Se você alterar os valores de Dias de trabalho no mês ou Horas de trabalho no dia, o Total de horas no mês será atualizado automaticamente sem precisar repetir a digitação da fórmula.

Calculando o custo por hora de trabalho

Agora podemos seguir para calcular quanto cada uma das minhas horas vale, considerando o meu total de custos.

Isso é muito simples, adicione um novo campo para o Custo por hora de trabalho e divida seus Custos totais pelo Total de horas de trabalho no mês.

Adicionando o custo por hora de trabalho na planilha.
Adicione um novo campo para identificarmos o custo por hora de trabalho
Calculando o custo por hora de trabalho.
Divida o seu Total de custos pelo seu Total de horas no mês
O resultado do custo por hora de trabalho.
O resultado será o seu custo por hora de trabalho
Formatando o resultado como um Número.
Formate o resultado como um Número para arredondar as casas decimais

Deixa eu explicar direitinho. Este valor é baseado nos meus custos, isso quer dizer que se eu trabalhar 20 dias por mês, 8 horas por dia, gastaria R$ 27,93 por hora.

Este é o valor que eu gasto por hora para manter todos os meus equipamentos e despesas fixas mensais.

As coisas estão ficando mais claras pra você?

Como toda a nossa tabela é baseada em fórmulas e funções matemáticas, qualquer alteração nos preços dos equipamentos, despesas mensais ou até mesmo na jornada de trabalho faz com que a tabela atualize os cálculos e você tenha sempre os valores atualizados.

Agora você tem uma das informações mais importantes para saber quanto cobrar pela sua arte.

Conhecendo o seu custo, você pode precificar o seu trabalho a fim de arcar com todas as suas despesas e pode estabelecer qual será o seu lucro real sobre o seu trabalho.

Quanto cobrar pela sua arte?

De posse de todas as informações de custo e carga de trabalho, vamos descobrir finalmente quanto podemos cobrar de nossos clientes por hora de trabalho.

Não, você não vai cobrar do seu cliente apenas o seu custo por hora. Assim você estaria trabalhando apenas para pagar contas.

Todo trabalho precisa de lucro, e o lucro é o que sobra depois que você pagou todos os seus custos e despesas.

Vamos adicionar alguns campos em nossa tabela para chegarmos ao objetivo final. Para isso, reproduza as informações como no exemplo abaixo.

Adicionando campos para cálculo do valor comercial
Adicionei dois campos, um para o Percentual de lucro e outro para o meu resultado final

Veja que eu sempre deixo um espaço entre cada campo para que a minha tabela fique mais organizada.

Definindo o percentual de lucro

No campo Percentual de lucro, nós vamos digitar um valor percentual que será o nosso objetivo de lucro.

Ele deve conter as suas expectativas de lucro sobre o valor do seu custo por hora de trabalho, além de considerar uma margem para negociação e até o pagamento de impostos.

Digitando o percentual de lucro.
Digite o valor percentual incluindo o símbolo %

No meu exemplo eu indiquei que terei um lucro de 150% sobre o valor do meu Custo de hora de trabalho.

Este percentual é uma das variáveis que mais pode mudar, pois influencia diretamente em quanto você vai ganhar pelo seu trabalho.

Valores maiores indicam que o seu lucro vai ser maior e, consequentemente, o seu trabalho será mais caro para o seu cliente.

Valores menores tem o efeito oposto, você lucra menos e a sua mão de obra fica mais barata para o seu cliente.

O ideal, no meu ponto de vista, é que você explore valores entre 80% e 150%, valores menores ou maiores que isso devem ser avaliados com cuidado para você não ter prejuízo ou acabar tornando o seu custo inviável de acordo com o perfil do seu público alvo.

Leve em consideração que você tem um custo fixo por hora mas que dificilmente você vai aproveitar 100% de suas horas de trabalho.

Você pode ficar um ou vários dias sem nenhum trabalho remunerado, mas os seus custos estarão lá, e precisarão ser pagos no final do mês.

Isso faz com que o seu percentual de lucro tenha tendência em ser o maior possível para cobrir as suas despesas mesmo se você ficar alguns dias sem trabalho.

Se isso acontecer com frequência, considere revisar os seus custos e a sua jornada mensal de trabalho, vale também redobrar seus esforços para conseguir novos clientes.

Outra alternativa seria inserir um campo separado na sua tabela, anotando quantas horas você trabalhou de fato e assim medir quanto realmente gastou e lucrou naquele mês.

Calculando o valor comercial por hora

Finalmente, para calcularmos o nosso Valor comercial por hora, basta descobrir quanto valem os 150% de lucro e somá-los aos nossos custos.

Para isso, vamos fazer uma fórmula um pouco diferente, que deve começar com os primeiros valores entre parênteses, assim a gente faz um cálculo antes do outro, evitando erros no resultado.

Primeiro comesse digitando o sinal de = seguido de um parêntese, fica assim =(.

Calculando o valor comercial por hora.
Vamos usar uma fórmula com um parêntese para fazer o cálculo da porcentagem primeiro

Depois é só clicar no valor do Custo por hora de trabalho e multiplicar pelo Percentual de lucro, como na imagem abaixo.

Iniciando o cálculo do valor comercial.
Selecione os valores de Custo por hora e multiplique pelo Percentual de lucro

Depois de indicar a multiplicação destes dois valores, feche o parêntese ) e adicione o sinal de mais +, selecionando o Custo por hora de trabalho em seguida, como no exemplo abaixo.

Concluindo o cálculo de Valor comercial por hora.
Continue editando a fórmula para concluir o cálculo

No meu exemplo, a fórmula ficou assim =(J16*J19)+J16. Isso quer dizer que o Planilhas do Google vai primeiro resolver o que está dentro do parêntese, para depois somar com o que está fora do parêntese.

O que fizemos foi multiplicar o Custo por hora de trabalho pelo nosso Percentual de lucro, transformando o percentual em um valor real, depois que o resultado foi obtido, somamos ele ao nosso Custo por hora de trabalho.

Ao pressionar o Enter o resultado exibido será o Valor comercial por hora de trabalho.

Valor comercial por hora calculado.
Resultado do Valor comercial por hora

A partir deste ponto, se você decidir mudar o Percentual de lucro, o Valor comercial por hora será atualizado automaticamente. Isso permite que você faça testes com percentuais diferentes e veja quanto isso vai refletir no seu Valor comercial por hora.

O Valor comercial por hora é quanto você deve cobrar por hora de trabalho dos seus clientes. Este é o preço que te permitirá cobrir os seus custos e ter lucro.

De acordo com todos os cálculos que fizemos até aqui, eu devo cobrar R$ 69,80 por cada hora de trabalho que eu gastar no projeto de um cliente.

Ferramentas do Google para Freelancers

Antes de continuar eu gostaria de chamar atenção para o fato de estarmos usando uma ferramenta de planilhas eletrônicas desenvolvida pelo Google, e que é totalmente grátis.

Além do Planilhas, o Google também desenvolve uma série de outras ferramentas e recursos que você pode usar totalmente de graça.

Temos, por exemplo, o Google Drive para armazenamento de arquivos na nuvem, o Documentos para edição de textos, o Apresentações, que é idêntico ao PowerPoint, o Meeting para reuniões online, entre muitos outros.

Com base nisso, eu desenvolvi um treinamento super prático mostrando como profissionais iniciantes e principalmente freelancers podem usar as ferramentas gratuitas do Google no seu dia-a-dia de trabalho.

Se você tiver interesse e quiser aprender mais sobre tudo isso, conheça o meu curso Ferramentas do Google para freelancers e tenha certeza que seu fluxo de trabalho vai ficar ainda mais completo.

Como precificar um projeto?

Descobrir quanto cobrar por hora pode te dar uma bela visão sobre como precificar os seus trabalhos. Isso não significa que esta é a resposta definitiva para dar o preço exato por cada trabalho que você fará.

Este tipo de cálculo serve para que você possa conhecer as suas despesas e qual é o valor mínimo que você deve cobrar por uma hora de trabalho sem que isso represente prejuízo.

Entretanto, criar um projeto criativo exige diversas etapas que podem consumir boas horas do seu dia sem necessariamente significar que você vai fechar o trabalho com um novo cliente.

Para concluir um projeto criativo, um designer geralmente passa pelas etapas de conversa inicial com o cliente, briefing, brainstorming, pesquisas, rascunhos, aprovações e revisões.

Não tem como saber exatamente quanto cada trabalho vai levar em horas, mas conhecendo os seus custos e com tempo e experiência, você será capaz de precificar o seu trabalho quase que automaticamente, de acordo com o seu próprio fluxo de trabalho.

Exemplo: quanto cobrar por um projeto de flyer

Eu ainda vou fazer um artigo mais detalhado sobre precificação por projeto, mas para que você possa terminar este texto com uma boa noção de como fazer isso, vamos a um exemplo prático para a precificação de um projeto para um flyer.

Considere que o tempo e os preços mencionados aqui são apenas exemplos, e você pode ajustá-los conforme sua necessidade. Então vamos lá.

  1. Um projeto criativo precisa de algum tempo inicial para reunir com o cliente, receber a demanda e fazer ao menos um pequeno briefing. Vamos considerar que para isso você vai gastar cerca de 1 hora.
  2. Você vai precisar interpretar este briefing, fazer algumas pesquisas e buscar algumas referências antes mesmo de começar a colocar a mão na massa. Digamos que você leve meia hora para fazer isso.
  3. Você vai precisar comprar uma imagem ou baixar uma de um banco que você já paga mensalmente. Digamos que esta imagem custe R$ 30,00, preço médio por uma imagem licenciada no Shutterstock.
  4. De posse de tudo o que você precisa, você começa a trabalhar efetivamente no design do flyer, abrindo o Illustrator, Corel ou Affinity Designer, montando o layout, textos, imagens, ícones, etc. Digamos que aqui você levou mais 1 hora até concluir o trabalho.
  5. Com o trabalho pronto e sendo otimistas, o seu cliente aprovou de primeira e você só precisa fechar o arquivo e enviar pra ele por e-mail. Vamos adicionar aqui mais meia hora só pra arredondar.

Nos 5 passos acima temos um esquema simples do passo-a-passo para a construção de um flyer que vai usar uma imagem de um banco de imagens.

Agora tudo o que precisamos fazer é colocar isso em valores, baseados na nossa tabela de cálculo de valor de trabalho.

  1. Somando todo o tempo gasto, temos um total de 3 horas de trabalho. Multiplicando pelo meu valor comercial, aquele que descobrimos na nossa tabela, fica 3 x 69,82 = 209,45.
  2. Eu tive que licenciar uma imagem no valor de R$ 30,00 para o meu cliente, então o valor desta imagem deve ser repassada no preço do trabalho. Logo, eu pego os 209,45 + 30,00 = 239,45.
  3. O valor final para a construção deste flyer é de R$ 239,45.

Viu que, com este simples cálculo, eu fui capaz de dimensionar um bom valor para a construção de um flyer com uma imagem licenciada?

Por quê não arredondar este valor para R$ 240 ou R$ 250 e fixar este valor para qualquer trabalho igual a este que eu fizer de agora em diante?

Achou muito caro? Não se esqueça que eu usei o meu Valor comercial por hora para calcular. Este valor pode ser maior ou menor de acordo com os seus custos.

Além disso, o trabalho teve um custo adicional com uma imagem, que precisou ser paga à parte e que eu não previ nos meus custos com equipamentos ou serviços.

Considere, ainda, que você pode não conseguir trabalhos para preencher todas as suas horas do dia, o que pode te deixar ocioso(a) por algumas horas ou até mesmo dias.

Quanto mais você potencializar os seus lucros, melhor, pois você será capaz de suprir suas necessidades e cobrir seus custos até mesmo se ficar sem trabalho por um tempo.

Freelancer Toolkit

Além desta planilha de precificação, eu também criei outras planilhas para que você possa se organizar e gerenciar melhor o seu negócio.

Além disso, eu também reuni modelos de contrato, briefing, recibos e outros recursos que podem ser muito úteis pra você como profissional freelancer.

Te convido a conhecer o meu Freelancer Toolkit, tenho certeza que vai gostar.

Concluindo

Assim, nós voltamos ao primeiro tópico deste artigo, é tudo uma questão de custo.

Identificando corretamente quanto você gasta para se manter e ficar disponível para o mercado, você será capaz de encontrar o valor justo para a sua mão de obra.

Como eu prometi, vou deixar aqui a tabela que construímos para você baixar, editar e usar como quiser. Você pode copiar para o seu próprio documento no Planilhas do Google ou baixar e editar no Excel.

Eu espero de coração que este texto tenha te ajudado de alguma forma a entender melhor quanto cobrar pela sua arte, ou pelo menos te dar um norte para você precificar seus produtos sem ter prejuízos.

Ainda existe muita coisa legal que eu posso falar sobre precificação e até trazer alguns exemplos mais cabeludos e difíceis de calcular.

Então, se você curtiu este texto e quer que eu traga mais coisas sobre este assunto, deixa um comentário aqui em baixo me contando o que achou e deixando as suas dúvidas ou sugestões para um próximo artigo.

Até logo!

Leia também:

Designer MEI e Notas Fiscais

Entenda como o designer freelancer pode emitir notas fiscais mesmo sem CNPJ e o processo para se tornar MEI.

Subscribe
Notify of
guest

48 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Michele
Michele
em janeiro de 2022 11:27 am

Você foi magnífico nas suas explicações, muito obrigada por compartilhar seu conhecimento!!!

ANA TOMASELLI
ANA TOMASELLI
em janeiro de 2022 1:41 pm

Muito bom, me ajudou demais com a @docore_studio
Parabens!!!

Luana
Luana
em janeiro de 2022 3:29 pm

Adorei me ajudou bastantee!!!

Meg Melo
Meg Melo
em fevereiro de 2022 12:42 pm

Obrigada pela ajuda.

Débora
Débora
em março de 2022 7:59 pm

Maravilhoso! Me deu um norte muito bom. Só acrescentaria na sua planilha o item alimentação. Pode não parecer, mas os designers comem também. ;P

Mac Arthur
em março de 2022 10:30 am

Excelente!!!!!! Irmão, isso foi a luz que eu precisava!! Estava cobrando meu trabalho “a olho” e isso não demonstra profissionalismo. Gratidão!!!!

Aline
em abril de 2022 5:56 pm

Oi Liute, muito obrigada pelo artigo e dicas. Ajudou bastante.

Matheus
Matheus
em abril de 2022 6:00 pm

Agradeço!!!!

Marilia
Marilia
em abril de 2022 11:30 am

Excelente!! obrigada por esmiuçar tão bem esse tema que para nós é tão complexo!

Jennifer
Jennifer
em abril de 2022 10:34 am

Muito grata pela sua explicação, pois estou iniciando agora e não tinha noção de valores algum! E me ajudou a esclarecer muito! Deus abençoe seu trabalho e que possa continuar compartilhando esses grandes conhecimentos!

cliris
cliris
em abril de 2022 12:20 am

olá bom dia sou o cliris falo de angola, e gostei bastante, das dicas, parabéns pela sua paixão pós, ja tenho acompanhado algumas das suas vídeo aulas e com certeza és um grande profissional, desejo-lhe muita força e prosperidade
Se pudesse gostaria de receber um e-mail sobre vosso curso de illustrator ou indesign, pôs sou apaixonado pelas artes visuais,

Laiza Nascimento Garcia
Laiza Nascimento Garcia
em maio de 2022 11:13 am

Amei! Ajudou muito. Obrigada!

Gabi
Gabi
em maio de 2022 1:24 am

Ajudou demais!! me deu um norte mt bom…

Vitor
Vitor
em maio de 2022 3:09 pm

Simplesmente demais, não tem oque falar. De quebra levei o pacote Freelancer Toolkit !

Feh Ayumi
Feh Ayumi
em junho de 2022 1:16 am

Muito bem explicado! Parabéns, me ajudou muuito!

Adriano Silva
Adriano Silva
em junho de 2022 8:50 pm

Ótimo mesmo, Muito obrigado pelo conteudo!

jhonatan
jhonatan
em julho de 2022 5:20 pm

obrigado cara me ajudou muito parabéns pelo conteúdo

João Gabriel
João Gabriel
em julho de 2022 5:41 pm

Muito Obrigado, por compartilha seu conhecimento

Izan de Freitas
Izan de Freitas
em julho de 2022 5:30 pm

Ótimo, muito obrigado pela ilustre aula,
Estou começando e não sabia como precificar, vou salvar este artigo, não esquecer jamais 🙏.

Kenia
Kenia
em julho de 2022 11:00 am

Estava perdida quanto a precificação, adorei ter encontrado esse artigo, me deu uma luz. Obrigada!!

Rony Peralta
Rony Peralta
em agosto de 2022 11:27 pm

Ótimo artigo meu amigo, é de grande valia para nós profissionais de qualquer ramo.
Agradeço por compartilhar seus conhecimentos conosco.
Desejo muitas bençãos e sucesso sempre em sua vida…
Forte abraço…

Simone
Simone
em setembro de 2022 4:42 pm

amei amei o conteudo. obrigada. perfeito

Valéria Amaral
Valéria Amaral
em setembro de 2022 11:39 am

Esse conteúdo foi perfeito! Já fiz os meus cálculos e agora já tenho uma boa base para precificar os meus serviços e atingir as minhas metas.
Gratidão!

Guilherme
Guilherme
em setembro de 2022 9:50 am

Estou sem palavras. Texto impecável, explicação top. Muito obrigado.